Proteção de dados nunca fora tão possível quanto importante até os últimos anos. Seja no setor que for a tecnologia vem se tornando cada vez mais uma parte necessária de todas as áreas. Mas, o que a Lei GDPR teria a ver com imóveis?

Afinal, uma lei de protecionismo de dados seria assim tão importante para o mercado imobiliário? Isto não seria mais importante e aplicável a setores que possuem uma grande quantidade de atividade computacional envolvida?

Por estas e outras dúvidas é que, neste artigo de hoje, apresentaremos a você, nosso caro leitor. Por que a Lei GDPR afeta os imóveis? Comprovando que sua preocupação não se sustenta apenas ao setor de TI, mas sim a todo o mercado.

Aproveite e boa leitura!

Lei GDPR: o que é?

Ainda que entendemos que a internet está longe de ser uma terra sem lei. Nem todos sabem da existência da parte da legislação que envolve a mesma. Em entre tais, está a GDPR.

Fora do país dita como General Data Protection Regulation, sendo traduzida como Lei Geral de Proteção de Dados. A GDPR, ou, em português, LGPD tem como seu objetivo regulamentar a forma que as empresas tratam os dados do usuário.

Ou seja, estas têm por obrigação tratar as informações de cada cliente de forma sigilosa e respeitosa. Procurando sempre maneiras de melhorar cada vez mais essas informações. Neste sentido, a gestão imobiliária também é afeta por tal.

Setores que mais movem capital dentre todo o mundo é o imobiliário

Afinal, um dos setores que mais movem capital dentre todo o mundo é o imobiliário. Todos os dias são milhões que são transacionados dentro deste, visto que propriedades tem um custo muito elevado.

Logo, o mesmo também tem um impacto direto sobre a situação financeira das pessoas. Além de informações cruciais sobre alguns dos recursos que a mesma possui.

Entretanto, com tal lei em vigor, é conferido ao comprador mais controle sobre suas informações privadas. Com este conjunto de regras, as corporações conhecem o limite claro de suas ações e passam a entender qual a verdadeira importância da privacidade para aqueles que vêm a entrar em contato com a mesma.

Coleta de dados

A finalidade desta não é impedir que exista a coleta de dados, visto que é através destes que os empreendimentos podem fazer análises e bolar estratégias, mas sim garantir que os consumidores sejam respeitados e que as corporações priorize uma relação horizontal com estes.

Por tal motivo, a norma dá um enfoque especial na transparência. O que for acordado entre um cliente e a marca deverá ser respeitado, com todos os passos da coleta e tratamento das informações disponíveis para o titular.

Isto fica ainda mais claro com a definição do livre acesso, que determina que o consumidor deve ter facilidade para consultar, quando desejar, os seus próprios dados e conhecer a forma que a companhia garante a integridade destes.

Outro adicional também está na segurança e na prevenção de problemas, com a adoção de medidas protecionistas e na redução de vulnerabilidade destas informações. O propósito é que exposições sejam evitadas, a fim de evitar danos aos titulares.

Qual a importância da Lei GDPR?

Tal lei, que foi aprovada em agosto de 2018, dois anos após a aprovação da GDPR, entra em vigor neste ano de 2020. O contexto desta é um acirramento das discussões que tratam sobre privacidade e os limites éticos das entidades nos relacionamentos comerciais.

Tal discussão tomou enormes proporções quando acontecimentos que envolveram empresas de que lidam com informações diretas do público, como o Facebook e a Cambridge Analytica receberam acusações de uso indevido de informação de seus usuários.

E, claramente tal lei acaba por abranger o mercado de imóveis. Afinal, empresas que se dedicam a área também possuem um grande e frequente volume de dados que abrangem informações pessoais detalhadas de seus compradores.

Afinal, o próprio documento estabelece que qualquer corporação que venha a trabalhar com dados pessoais daqueles que procurarem as mesmas por seus serviços devem considerar suas restrições, incluindo as que não possuem sede em território nacional.

Em um contexto de transformação digital, momento este em que vivemos, o consumidor passou a ganhar o papel de protagonista, e este possui total controle sobre o rumo do mercado. Logo, diversas companhias acabam por coletar tais informações e tratá-las com respeito é dar ao seu cliente a segurança de que pode confiar em você.

Em casos de abuso dos dados, os titulares que foram prejudicados, antes da regra, não sabiam por onde começar caso suas informações fossem comprometidas. Logo, a regra evitar tal situação, dando a ele a voz e o poder necessário para agir em determinada situação.

Lei GDPR é necessária para o consumidor

Com este artigo fica simples de entender que, em suma, está se trata do protecionismo ao consumidor, que não precisa ficar mais com medo de dar o seu nome achando que suas informações podem ser comprometidas. E, em transações como as imobiliárias, tal segurança é fundamental para se fechar um bom negócio.

Para aqueles que desejam investir em imóveis, a CashMe tem a oportunidade de empréstimo perfeita para você começar seus planos hoje mesmo! Conosco, você vai mais longe!

Veja também:

O que fazer para lidar com o medo de investir

Como criar um planejamento financeiro sendo autônomo

Os melhores livros de finanças que você precisa conhecer

Gostou do texto? Faça uma simulação com a gente! Compartilhe e deixa a sua opinião, queremos saber.

Visite o nosso Instagram

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50).

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


CASHME SOLUÇÕES FINANCEIRAS LTDA., com sede social na capital do estado de SP, na Rua do Rócio, nº 109, 3º andar, Sala 01 - Parte, Vila Olímpia, CEP 04.552-000, inscrita no CNPJ sob o no 34.175.529/0001-68

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.