Cada mês que passa existem novas soluções no mercado e nos últimos anos podemos perceber uma aproximação entre cliente e empresa, você sabe por quê? Um dos motivos é graças ao Design Thinking.

Nessa hora você pergunta, mas o que seria isso? Aqui vou te esclarecer o que é e os passos de como pode aplicar esse importante recurso para que sua empresa cresça ainda mais.

O design thinking é uma forma de abordar, uma maneira de agir, de produzir e de resolver o problema dos seus clientes de forma empática. O foco desse método é ajudar a solucionar questões que talvez não deram certo, com foco nas pessoas que utilizam o que sua empresa oferece.

Sabe aquela reclamação recebida de que tal produto não funcionou conforme a expectativa do cliente? Pois é, o design thinking vai ajudar para que isso não aconteça mais e o problema seja solucionado da melhor maneira possível.

Utilizando esse recurso, sua empresa passará a diminuir o número de reclamação e receber mais elogios dos seus produtos e serviços ofertados. Além disso, vai ficar mais conceituada no mercado.

Sendo assim, o design thinking nada mais é do que implementar estratégias pensando mais nas pessoas que utilizarão o que você oferece.

Como posso aplicar Design Thinking na minha empresa?

Design thinking brasil

Antes de começar, saiba que o design thinking pode ser aplicado tanto na empresa de pequeno porte quanto naquelas de médio e grande porte. 

Essas ações vão surtir um efeito satisfatório, já que esse recurso visa pensar com a cabeça do cliente e não apenas de criador.

Então, vamos aos passos importantes para implantar esse importante recurso em sua empresa:

1º passo – Empatia

Antes de oferecer um serviço ou produto ao cliente, uma das primeiras coisas que se deve fazer é conhecer seu público-alvo. A partir desse momento você precisará pensar como ele e saber o que você pode oferecer que vai atender todas as expectativas e necessidades dele.

Isso nada mais é do que se colocar no lugar do outro e ver se aquilo atende ou não o que ele precisa.

Sabe aquela história de “achei que seria bom, e não foi”? Pois é, o design thinking derruba essa ideia e te faz pensar em criar soluções ou produtos que tenham valor real para seu público-alvo.

Ou seja, para ter sucesso nessa etapa é necessário se colocar no lugar do outro e pensar como se fosse o cliente. Se o que você está oferecendo seria válido ou não e o que deveria ser necessário modificar antes de entregar ao consumidor final.

2º passo – Definição

A partir do momento que você entende o que o consumidor final deseja, chega a hora de definir qual o problema que existe no seu produto ou serviço.

Faça uma análise do passo anterior e veja o que foi positivo ou negativo na experiência que seu cliente teve. O que dá para manter e o que deve ser descartado.

Para isso basta analisar as reclamações: caso tenham, veja o tipo e se são comuns, a partir desse momento é possível definir o que incomodou mais seus clientes.

3º passo – Colaboração

Você sabia que várias cabeças pensantes são melhores do que uma sozinha? Pois é, melhor ainda são várias cabeças pensantes de diversas áreas da sua empresa.

Elas te ajudarão a fazer um brainstorming, que é uma chuva de ideias, para criar produtos ou serviços que atenda seu público da melhor forma.

Então, quando tiver entendido a necessidade do seu público, criado empatia por ele, reúna uma equipe multidisciplinar, ou seja, de diversas áreas para uma reunião.

Nessa reunião você vai explanar a sua ideia e ouvir as dos demais participantes. A partir disso, chegará em uma conclusão do que será melhor antes de colocar seu produto ou serviço no mercado.

4º passo – Experimentação:

Chegou a hora de juntar tudo aquilo que foi trabalhado: a ideia inicial, o produto ou serviço, as expectativas do seu público-alvo e o brainstorming.

A partir de agora vamos colocar a mão na massa para a criação de um protótipo que será testado antes do produto ser entregue.

Prototipagem design thinking: Isso nada mais é do que transformar a ideia em algo prático, visual e talvez atrativo.

Nessa hora pode ser que as pessoas mudem de ideia antes de investir dinheiro naquilo que pode ou não dar certo.

Tomando essa atitude de experimentação, você terá menos chances de errar com seu cliente, correndo menos riscos de seu produto ou serviço não dar certo.

Você pode também lançar o produto em uma versão mais simples, para ver o resultado, sem ter grandes gastos para isso.

5º passo – Implementação

Agora é para valer: na implementação, após passar por todos os processos, chegou a hora de levar o que você pensou até o seu cliente.

Com isso você materializará tudo aquilo que foi feito até agora e sentirá se o processo feito no design thinking deu certo ou não.

A tendência, após passar por todos os processos é que seu produto tenha um grande sucesso, mas por vezes pode surgir algo que não tenha se atentado.

A expectativa é que isso não aconteça e que seu cliente se impressione ao ver que o produto ou serviço atende as necessidades dele. Isso porque tudo foi pensando em conjunto para ele.

6º – passo – Análise dos resultados

Sempre que criar algo terá pontos positivo e negativos para poder analisar, mesmo utilizando as técnicas do design thinking.

Pensando nisso, após lançar o seu produto faça uma pesquisa de satisfação com perguntas que te ajudem a melhorar a longo prazo.

Pode ser que neste momento você se surpreenda com ideias ou sugestões de seus clientes que deixarão seu produto ainda mais forte no mercado.

Além disso, ouvir o que o cliente tem a dizer atualmente é muito importante seja por diversos caminhos como: e-mail, telefone e redes sociais etc.

Toda crítica, positiva ou negativa, é muito importante e pode ser fundamental para o lançamento de outro produto ou serviço da sua empresa.

Por isso é necessário estar alinhado ao que seu cliente utiliza, pensa e procura. Isso vai permitir que ele tenha uma experiência marcante com o que você tem a oferecer e, principalmente, sempre se lembre da sua marca.

Quer algo melhor do que o famoso “boca a boca”? A recomendação do seu cliente que se surpreendeu com o produto que recebeu ou que foi bem atendido na sua empresa vale muito.

Que tal uma ajuda para iniciar esse processo em sua empresa?

Logo abaixo têm algumas perguntas que serão importantes para que sua empresa crie um mapa sobre seu cliente, respondendo ao primeiro item que é empatia:

  • O que ele pensa e sente?
  • O que ele escuta?
  • O que ele vê?
  • O que ele fala e faz?
  • Quais são suas dores?
  • Quais são seus desejos?

A partir do momento que tiver essas respostas, compartilhe ela com sua equipe e veja se esqueceu alguma coisa.

Com esse primeiro passo já é possível criar a persona (personagens fictícios criados para representar diferentes tipos de usuários) do seu cliente.

Resultado de quem adota o Design thinking

Ideação design thinking

Empresas que adotam esse recurso e que pensam em melhorias para seus clientes tendem a ter um melhor desempenho no mercado.

Com isso elas ganham confiabilidade e fazem com que o cliente volte mais vezes a adquirir um produto ou serviço oferecido.

O tempo gasto para passar por todas as etapas será recompensado com o sucesso no futuro e um reconhecimento por parte dos seus clientes.

Nesse caso, pequenas atitudes podem se tornar grandes conquistas e fazer com que sua empresa cresça em larga escala.

Por isso, falamos aqui que tanto empresas de pequeno, quanto de médio e grande porte podem utilizar dessa importante ferramenta empresarial.

Esse modelo pode ser adotado em diversos segmentos e mudar a forma como as empresas se relacionam com seus clientes.

Isso, com toda certeza, vai fazer melhorar o relacionamento e satisfação ao comprar produtos ou contratar serviços.

A grande questão é como sua empresa lida com os problemas? Como sai de situações difíceis?

Sendo assim, design thinking é uma importante ferramenta de inovação na solução de problemas para sua empresa. Além disso, contribui como uma poderosa estratégia na gestão.

Ao adotar em seu negócio, será possível ir ao encontro do desejo e da expectativa que seu cliente tem no que você está oferecendo.

Mudança de pensamento

Será importante reunir seus funcionários que farão parte das reuniões e promover uma mudança de pensamento.

Também é possível sugerir livros e vídeos para que possam entender melhor de design thinking e contribuir com mais ideias durante as reuniões.

Além disso, todos precisam pensar fora da caixinha, estarem envolvidos, para que seu negócio venha ter sucesso e os problemas solucionados.

Também é possível encontrar cursos EAD (Educação a distância) nessa área. Na página do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) eles indicam um curso gratuito. Clique aqui e confira!

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50). Empresa do Grupo Cyrela

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 120 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 15 anos (180 meses) com LTV de 43,3% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.685,09, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,04% ao ano.”””


O cashme.com.br (“Website”) é pertencente e operado pela Cyrela Brazil Realty Empreendimentos e Participações (“CashMe”), uma sociedade anônima registrada sob o CNPJ/MF 73.178.600/0001-18

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.