Veja dicas de como manter as finanças pessoais em dia e fugir das dívidas 

Sabemos que, atualmente, manter as contas organizadas é um grande desafio para muitos brasileiros. O país soma mais de 30 milhões de pessoas na lista de superendividados, com dívidas maiores do que o orçamento fixo mensal. E a situação pode ser ainda pior porque muitas pessoas acabam recorrendo a um dos financiamentos mais caros do mercado: o cheque especial. 

Com juros exorbitantes, o cheque especial tem taxas que chegam a 12,7% ao mês e 318,6% ao ano. Valores que podem levar o consumidor ao endividamento e aos poucos prejudicar o orçamento mensal. 

No começo, o uso deste limite especial pode parecer inofensivo, mas se não houver controle os juros se tornam um valor significativo. Uma pesquisa realizada pelo Guiabolso revela que os usuários desta modalidade de crédito gastam em média R$120 reais por mês apenas pagando taxas.

Para fugir do cheque especial é preciso ter um controle constante do que entra e do que sai da conta corrente. Algumas instituições financeiras somam o saldo da conta com o valor disponível do limite, o que acaba confundindo o cliente. Essa falta de transparência é um problema que se torna uma armadilha para usuários desatentos. 

Portanto, para não cair no cheque especial é preciso se organizar e manter o controle das finanças pessoais. Se você costuma usar este limite por meses consecutivos, saiba que esse hábito é o primeiro sinal de descontrole, ou seja, você está gastando mais do que ganha. 

Como não cair no cheque especial? 

É preciso rever o estilo de vida, os gastos supérfluos e hábitos de consumo. Faça um planejamento financeiro com metas reais, considerando sua renda. É preciso se ater ao salário: Quanto você realmente ganha mensalmente? Qual é a sua renda líquida?

Lembrando que o salário bruto – aquele que está registrado na carteira profissional, não é exatamente o valor que vai entrar todo mês em sua conta bancária. Para saber exatamente o quanto recebe, é necessário considerar os descontos previdenciários, imposto de renda e todas as outras taxas aplicadas que são demonstradas no holerite. 

Tendo conhecimento da renda mensal, é hora de começar a programar seus gastos para viver confortavelmente. A dica é aprender a viver com menos, e não mais no limite do orçamento, para evitar dificuldades financeiras. No início será difícil se acostumar, mas se controlar ao entrar em uma loja ou ao ir ao supermercado é essencial para evitar gastos desnecessário.

 Veja algumas dicas de como evitar o cheque especial:

– Não gaste sem pensar, dê valor ao seu dinheiro! Assim, seu salário vai render mais e dificilmente sua conta entrará no vermelho. 

– Atenção ao valor real do saldo e o do limite disponível no cheque especial, se no extrato aparecem somados, peça ao gerente do seu banco que aponte qual é o crédito e evite ao máximo usá-lo. 

– Caso já esteja endividado, procure a instituição financeira para tentar um acordo. Uma negociação vai facilitar o pagamento da dívida, e é possível parcelar ou até receber um desconto se a quitação for à vista. 

– Reduza o limite do seu cheque especial ou cancele o serviço se você não conseguir controlar seus gastos. Usar essa linha de crédito todo mês pode acabar acarretando em dívidas com altas taxas de juros. 

– Mantenha um controle das suas finanças, seja realista e faça uma avalição dos seus gastos. Identifique se as suas compras são baseadas no sentimento, antes de fechar negócio reflita se o produto é um desejo ou uma necessidade. 

– Tenha uma reserva para emergências, lembre-se que viver no limite da sua renda é perigoso, pois um imprevisto pode deixá-lo no vermelho. Poupar dinheiro, vai evitar que seja preciso usar o limite do cheque especial por causa de situações atípicas. 

Dica da CashMe: Se for necessário pegar um empréstimo, opte pelo crédito com garantia pois os juros são bem menores!

Este conteúdo foi útil? Deixe seu comentário e interaja conosco pelas redes sociais.