Mesmo que você seja um empreendedor individual, é fundamental que você saiba organizar as finanças da sua empresa para que você não caia em dívidas, impedindo seu crescimento. Muitos empreendedores não prestam atenção nesses detalhes e quando vão ver, já estão no vermelho, pedindo empréstimos, fazendo tudo ir por “água abaixo”.

Apesar de ser uma situação preocupante, não há motivo para alarde se você souber se organizar financeiramente antes que seja tarde demais. Afinal, o mercado não costuma oferecer muitas chances para empreendedores que não sabem ter disciplina e organização.

Se você já é ou pensa em ser um empreendedor individual e não quer crescer sem cair em dívidas, este artigo é para você. Abaixo você confere dicas valiosas para organizar o setor financeiro do seu negócio, minimizando gastos e garantindo a eficiência da sua empresa. Não deixe de acompanhar e boa leitura!

Exercite a disciplina como empreendedor individual

Uma das qualidades que todo empreendedor individual deve ter se chama disciplina. Não tem como ter sucesso ao organizar algo se você não se dedicar. É como deixar de lado algum vício. Se você não tiver disciplina, na primeira oportunidade você cometerá um deslize e não irá atingir o seu objetivo.

Se não existe foco, disciplina e um acompanhamento diário, sentimos em informar, mas as chances de sucesso e crescimento são muito pequenas. Por isso, mesmo que você seja um empreendedor individual você deve acompanhar de perto todos os indicadores do seu negócio.

Custos fixos, faturamento, custo total, margem de lucro e até mesmo o nível de endividamento. Nada deve passar despercebido. O ideal é que você faça esse acompanhamento diariamente ou, no máximo, semanalmente.

Fazendo esse acompanhamento, você poderá identificar possíveis problemas antes que eles fiquem irreparáveis, podendo contornar a situação com tranquilidade.

Melhore a organização das contas a receber

Faça com que seus clientes paguem sempre em dia. Se for preciso, você pode oferecer brindes ou outros incentivos para os que não efetuarem o pagamento com atraso. Isso porque, esses atrasos, podem prejudicar o seu planejamento financeiro e, obviamente, pode comprometer todo o seu capital de giro.

Ah, e sabe aqueles clientes que estão com dívidas a muito tempo? Faça um planejamento para tentar receber o pagamento dessas pessoas. Você pode criar promoções, dar descontos, oferecer uma opção de pagamento mais facilitado… o importante é que elas quitem as dívidas.

Não misture as contas pessoais com as contas empresariais

Isso é um erro que acontece com muitos empresários, e isso também vale para o empreendedor individual. É comum que as contas pessoais se misturem com as contas empresariais. Normalmente, isso acontece com empreendedores que não contam com muitos funcionários e que gerenciam o negócio sozinho.

O que acontece é que eles pensam que, por gerenciarem tudo sem a ajuda de outra pessoa, não tem problema em misturar as finanças. E é aí que mora o perigo. A falta de organização prejudica a criação de ações estratégias que poderiam alavancar o seu negócio a médio e longo prazo.

Por isso, mesmo que a tentação seja forte, não misture. Organize, rigorosamente, os recursos destinados para a sua vida pessoal e aqueles que estão destinados para o crescimento da empresa. Não permita que o capital da empresa possa ser transferido para sua conta pessoal. Assim, você se livra dessa tentação e não prejudica o seu negócio.

Conheça bem os prazos

Quando você sabe quando ocorrem as datas de recebimento, vencimento e restrições de prazos, fica mais fácil efetuar o pagamento em dia, evitando juros e multas. Por isso, não ignore essa questão. Conhecer bem os prazos permite um maior controle do seu fluxo de caixa.

Além disso, ainda permite que você possa priorizar aquilo que é realmente relevante em curto, médio e longo prazo. E quando se trata de dívidas, se você quer ser um empreendedor individual com um bom crescimento do seu negócio, é imprescindível que você conheça as dívidas de curto prazo.

Negocie com fornecedores melhores condições de pagamento

Quando você negocia com seus fornecedores melhores condições de pagamento, você consegue gerir melhor a gestão de pagamento. É necessário que você reveja as condições de pagamento tanto das suas contas a pagar, como das suas contas a receber.

Se possível, coloque todas as contas a pagar para a mesma data do mês. Faça o mesmo com as contas a receber. Com esse equilíbrio, o fluxo de caixa da sua empresa se manterá sempre favorável.

Além disso, caso um fornecedor não esteja aberto a negociar prazos com você, talvez seja uma boa ideia trocar de fornecedor. Este é o seu negócio, você precisa pensar no melhor para ele, para que você consiga aumentar o capital de giro e, consequentemente, crescer e prosperar.

Desconfie de soluções milagrosas

Sabe aquele empréstimo que está facilitado demais? Fuja dele. O mesmo vale para aquele investimento ou financiamento. Muitas empresas oferecem condições imperdíveis, mas quando você vai ver, acaba contraindo uma dívida enorme, sendo muito difícil se livrar dela.

Por isso, sempre desconfie de soluções milagrosas ou facilitadas demais. Geralmente, essas soluções são um caminho rápido para o endividamento que pode prejudicar seu negócio por anos a fio. Então, se tiver uma dica que você deve seguir, sem dúvidas, é: evite fazer empréstimos, financiamentos ou investimentos. De qualquer tipo e natureza.

Defina um orçamento anual

Você pode encontrar várias oportunidades no seu negócio. Porém, tudo isso deve ser feito com bastante controle e tudo muito bem calculado para que isso não ocasione uma instabilidade no seu negócio.

Você pode investir na expansão do seu negócio, contratar novos serviços e até adquirir mais ferramentas para o seu empreendimento. Porém, para que você não corra o risco de ficar no vermelho, o ideal é que você defina um orçamento anual apenas para isso.

Tomando tal atitude, você garante que sempre terá um valor limite para investir, sem prejudicar seu orçamento. Afinal, como você já tinha essa quantia guardada, você poderá usá-la, garantindo a saúde financeira do seu negócio.

Reduza despesas

Revise seus custos fixos e variáveis para que você possa determinar se existem áreas em que você pode melhorar o seu fluxo de caixa, como por exemplo:

Equipamentos

Materiais de escritório

Tecnologia

Esses itens representam despesas que podem ser diminuídas com negociações entre seus fornecedores. E, mais uma vez: se o fornecedor não colabora com o seu desenvolvimento, veja se não é melhor procurar outra pessoa para fornecer o que você precisa. Lembre-se: o seu empreendimento sempre deve vir em primeiro lugar.

Saiba gerir, de forma adequada, os seus fornecedores

E já que estamos falando justamente sobre seus fornecedores, que tal um tópico apenas para eles? Como já deu para perceber, um dos pontos mais preocupantes de qualquer empresa ou de um empreendedor individual são os fornecedores e sua gestão. E isso vale, principalmente, quando se trata de vários.

Imagine que o seu negócio vende um determinado produto que precisa de vários componentes e que cada um desses componentes é produzido por um fornecedor diferente. Se isso não for bem administrado, um caos pode se instalar no seu negócio.

Afinal, não será apenas o setor financeiro do seu negócio que será impactado. Toda a sua empresa poderá sofrer consequências de uma má administração, com problemas como atraso na mercadoria, problemas no fornecimento ou produtos de má qualidade.

Por isso, é fundamental que você faça uma análise completa das instituições que fornecem os materiais da sua empresa, de forma a manter sempre uma boa gestão e relacionamento.

Obtenha aconselhamento de pessoas externas

Nem sempre um empreendedor individual consegue entender com clareza como o seu fluxo de caixa pode ser melhorado. Por isso, recomendamos que você busque ajuda de empresas que podem te passar uma melhor orientação.

Por exemplo, você pode procurar a ajuda de um consultor. Ele poderá fazer uma avaliação completa e examinar as principais áreas do seu negócio, como por exemplo:

Ciclo de vendas

Rotatividade do estoque

Condições de crédito para clientes

Condições de crédito para fornecedores

Um consultor também pode encontrar áreas na sua empresa onde existe espaço para uma otimização de processos. Assim, ele encontrará outras maneiras de gerar mais dinheiro de forma interna.

Gerencie o seu estoque

É fundamental que você não sobrecarregue o seu estoque. Na verdade, você não deve deixar faltar mercadoria, mas também não deve deixar mercadoria sobrando por muito tempo. O ideal é que você se certifique que seus produtos serão vendidos rapidamente e que não fiquem por muito tempo no depósito.

Fazendo isso, você consegue:

Aumentar a sua lucratividade

Diminuir custos de manutenção

Ampliar o giro de mercadoria e capital circulante

Além disso, se for preciso, corte serviços e produtos que não estão dando lucro para o seu negócio.

Faça um planejamento para garantir o seu futuro

Certamente, a última coisa que você quer é que sua empresa caia no vermelho. Se você é o empreendedor individual, é você que deve assumir a responsabilidade para que seu negócio se mantenha estável. Por isso, garanta que sua empresa não passará por apertos.

A dica é fazer um planejamento estratégico e financeiro para garantir o futuro do seu negócio. Sabemos que é importante pensar no momento presente, mas o seu pensamento também precisa estar virado para o futuro.

Com isso em mente, você garantirá que o futuro do seu negócio seja mais tranquilo e renda sempre bons frutos.

E quais são os principais motivos do endividamento do empreendedor individual?

Agora que você já sabe como crescer sem cair em dívidas, resolvemos oferecer um bônus para que você fique ainda mais em alerta e não caia no vermelho. Abaixo você vai conferir os principais motivos que fazem com que os empresários fiquem endividados.

Reclamações trabalhistas

Se você é um empreendedor individual que possui funcionários, tome cuidado. Quando você precisar contratar ou demitir algum colaborador, é fundamental que você faça isso com uma boa assessoria jurídica.

Isso porque pode ocorrer de você não efetuar o pagamento total dos direitos do seu funcionário. Dessa forma, o mesmo acaba entrando na justiça para reivindicar seus direitos como funcionário. Além disso, não é apenas pagar o funcionário. Você precisa comprovar que pagou.

Isso é importante porque existem trabalhadores que agem de má-fé e realizam pedidos na Justiça do Trabalho, mesmo sabendo que são indevidos. Diante disso, muitos empresários são condenados a pagar por aquilo que não devia, apenas porque não tem como provar que efetuou o pagamento. Por isso, sempre documente tudo que for relativo ao seu negócio.

Dívidas bancárias

Se preferir, você também pode chamar de empréstimos. Lembra que falamos dele ali em cima? Pois bem, esse também é um dos motivos que fazem muitos empresários contraírem dívidas. Isso acontece porque muitos empresários que estão iniciando agora, confundem empréstimo com capital. E isso pode causar grandes danos.

E você deve saber, como qualquer um, que um empréstimo, quando não há organização, pode se transformar em uma verdadeira “bola de neve”. Sendo assim, não esqueça de fazer um bom planejamento antes de solicitar um empréstimo.

Se for necessário, contrate alguém que entenda sobre o assunto para que você tire todas as suas dúvidas e não corra o risco de ficar no vermelho. Na internet você confere vários artigos com dicas sobre o assunto.

Contratos diversos

Pode parecer estranho, mas existem várias pessoas que não assinam um cheque em branco, mas não pensam duas vezes antes de assinar um contrato sem analisá-lo com cautela. E isso pode fazer um empresário contrair dívidas jamais imaginadas.

Você não precisa ser formado em direito para assinar um contrato. Porém, é interessante que você contrate alguém que entenda ou estude sobre o direito empresarial. No caso de prestações de serviços, por exemplo, é importante que você conheça a legislação trabalhista.

Dessa forma você evita consequências desastrosas que podem prejudicar o seu negócio ou causar danos irremediáveis. Ou seja, não assine nada sem ter certeza que o que você está assinando é confiável e não trará problemas para o seu negócio.

Agora você já sabe como crescer como empreendedor individual sem correr o risco de cair em dívidas. Siga nossas dicas que, certamente, o seu negócio irá apenas prosperar.

E para aqueles que procuram por um valor para começar seus negócios, aqui na CashMe oferecemos ótimas oportunidades de empréstimo para que você consiga realizar todos os seus sonhos! Com a CashMe, você vai mais longe!

O que é hipoteca reversa? Entenda todos os detalhes agora!

Divida ativa IPVA: o que fazer para quitar esse débito

10 regras para sobrevivência empresarial

Gostou do texto? Faça uma simulação com a gente! Compartilhe e deixa a sua opinião, queremos saber.

Visite o nosso Instagram

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50). Empresa do Grupo Cyrela

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 120 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 15 anos (180 meses) com LTV de 43,3% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.685,09, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,04% ao ano.”””


O cashme.com.br (“Website”) é pertencente e operado pela Cyrela Brazil Realty Empreendimentos e Participações (“CashMe”), uma sociedade anônima registrada sob o CNPJ/MF 73.178.600/0001-18

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.