Saiba o que é portabilidade de empréstimo

Quer diminuir ainda mais a dívida do seu empréstimo? A CashMe  tem a solução. Confira:

Toda dívida pode começar pequena, quase inofensiva, e é aí que mora o perigo. Existem pessoas que acabam fazendo divida atrás de dívida, sem se dar conta de como isso pode, no final, se tornar um grande pesadelo. As taxas de juros podem até dobrar de um período para o outro sem que o consumidor se recorde disso. 

Quando se está preso nessa bola de neve, a saída pode ser fazer um empréstimo para que essas dívidas sejam quitadas. Mas o que acontece quando o que era para ser a solução, se torna mais um problema?

Para isso, existe chamada portabilidade de empréstimo. A operação tem como finalidade de ajudar a saldar a dívida com as menores taxas de juros, que serão renegociadas. O procedimento pode ser feito por todos aqueles que solicitaram um empréstimo, mas muitos poucos tem a noção disso.

O que é portabilidade de empréstimo?

A portabilidade de empréstimo é um procedimento autorizado pelo governo federal e tem como objetivo aumentar a concorrência entre os bancos, possibilitando assim a redução dos juros de uma operação. A portabilidade de crédito fi criada em 2013 pelo Conselho Monetário Nacional (CMN);

Por meio da portabilidade de empréstimo, o crediário devedor muda a instituição financeira em que sua dívida se encontra, migrando para uma que tenha taxas de juros mais baixas Assim, ocorre a transferência da dívida de uma instituição para outra.

 Não é possível mudar nem o valor das parcelas, nem os prazos para o pagamento da mesma. Contudo, as taxas podem ser alteradas, o que resulta em uma redução do valor das parcelas a serem pagas. Assim, o beneficiário poderá economizar um pouco de dinheiro a cada mês.

A portabilidade de empréstimos ocorre de uma forma simples e com poucas burocracias. O novo banco paga o saldo restante da dívida para o banco credor atual, liquidando a dívida junto dele. É como se o novo banco comprasse a dívida. 

Como solicitar uma portabilidade de empréstimo?

Qualquer pessoa física ou jurídica pode solicitar a portabilidade de empréstimo, não importando qual seja o valor da dívida. Basta que a pessoa tenha feito um empréstimo em uma das instituições financeiras constantes no Sistema Financeiro Nacional (SFN).

Toda instituição financeira é obrigada a oferecer a portabilidade de crédito para seus clientes, caso desejem migrar para outro banco. Contudo, nenhuma instituição é obrigada a assumir a dívida. Assim, a primeira coisa  ser feita para conseguir a portabilidade de empréstimo é encontrar um banco que esteja interessado em comprar a dívida, quitando o valor restante dela junto ao atual credor. 

Após a escolha da instituição para a qual a dívida será transferida, é necessário comunicar o banco credor atual, que terá o prazo de um dia útil para fornecer todas as informações necessárias para a execução da portabilidade da dívida.

As informações necessárias para que esse procedimento seja realizado são o número do contrato da dívida, o saldo do devedor, um demonstrativo da evolução do saldo do devedor, a modalidade do empréstimo, o valor das taxas de juros nominal e efetiva, o prazo para o pagamento das parcelas, o valor de cada prestação com encargos e a data do último vencimento da operação de empréstimo.

É feito então, a partir dessas informações, um boleto de quitação. Com este boleto em mãos, o crediário vai até a segunda instituição para que seja feita a compra da dívida e a liberação do novo empréstimo. É importante destacar que só se deve fazer essa transferência quando o consumidor já escolheu a nova instituição. 

Após a nova instituição financeira assumir a dívida do crediário, as taxas de juros podem ser renegociadas. O objetivo é obter taxas menores do que as que eram pagas anteriormente.  Para que isso seja possível, é indicado conferir a oferta de diversos bancos.

Quais os custos da portabilidade de empréstimo?

O procedimento em si não possui nenhum custo. O banco que assumir a dívida realiza o pagamento junto ao antigo credor por meio de uma transferência bancária. Esses custos ficam exclusivamente ao encargo da instituição e não podem ser repassados ao cliente.

Porém, se o beneficiário ainda não for cliente da instituição financeira para a qual pretende transferir a dívida, é possível que o banco requeira o pagamento de uma taxa para efetuar o chamado cadastro de início de relacionamento. 

Quais as vantagens de uma portabilidade de empréstimo?

A portabilidade de empréstimo traz vantagens tanto para o cliente, quanto para a empresa bancária que irá assumir a dívida.

Para a instituição, a vantagem está em passar a receber o pagamento das parcelas mensais presentes em um empréstimo, como se o mesmo tivesse sido pedido para a instituição desde o princípio. Já para o beneficiário, a principal vantagem é a negociação da diminuição das taxas de juros, o que implica em um valor menor das parcelas mensais a serem pagas.

Em alguns casos, pode vir a acontecer de o banco credor atual faça uma contraproposta, oferecendo um percentual de juros menor do que aquele oferecido pelo nova instituição financeira. Cabe ao cliente aceitar ou recusar essa proposta.

Existem aqueles clientes que se encontram insatisfeitos com seus bancos atuais e escolhem realizar a portabilidade de empréstimo por questão de serviço. É comum que haja problemas entre a instituição e o consumidor, mas os motivos são diversos, desde a forma de atendimento até cobranças indevidas. 

Outra vantagem é que a portabilidade pode ocorrer não importando o tamanho do valor do empréstimo. O valor do crédito emprestado, o valor do pagamento das parcelas e o prazo em que as parcelas devem ser pagas, não mudam. O que pode ser renegociado é um novo valor de taxas. 

Gostou do texto? Faça uma simulação com a gente!  Compartilhe e deixe a sua opinião, queremos saber. Que saber mais sobre o assunto? Veja:

Além do juros: outras taxas de um empréstimo

5 dicas de como usar o empréstimo para saldar dívidas

As menores taxas de juros