Saiba como fazer o seu financiamento para construção

Saiba como fazer o seu financiamento para construção
ícone de calendario

Atualizado:
15/06/2022

ícone de calendario

Publicado:
26/05/2022

ícone de relógio

Leitura de
25 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe


Com o financiamento para construção é possível reformar ou ampliar seu imóvel sem dores de cabeça e podendo negociar descontos por pagamento à vista.

Se você tem o sonho de construir um imóvel do zero do jeito que sempre quis, saiba que não está sozinho nessa. Não é atoa que a expressão ‘sonho da casa própria’ se tornou tão popular no país nos últimos anos. 

Muitos brasileiros têm buscado instituições financeiras que oferecem o serviço de financiamento para construção. Mas o que poucos sabem é que, apesar de essa ser uma opção aparentemente vantajosa, é preciso conhecer a fundo esse tipo de operação e suas as condições de pagamento. 

Ficou curioso para saber mais? Continue a leitura e descubra o que é financiamento para construção, qual é o passo a passo para contratá-lo, ao você deve se atentar antes de fechar um serviço e como fazer um comparativo de preços entre as instituições financeiras. 

Boa leitura!

Índice

O que é o financiamento para construção?

O financiamento para construção é um tipo de serviço de crédito que pode ser bem interessante para quem quer comprar um lote imobiliário ou para quem quer construir a casa dos sonhos. 

O valor desse tipo de empréstimo normalmente cobre até 80% do custo total da construção, sem contar a mão de obra. Por esse motivo, é importante fazer um bom planejamento financeiro.

Outra característica importante desse tipo de financiamento é que o pagamento das parcelas pode ser feito em até 35 anos, dependendo da instituição que concede o crédito. Além disso, esse empréstimo é feito pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). 

Crédito para financiamento de construção

Quais os benefícios desse tipo de financiamento?

Para abater o restante do valor da construção, é possível usar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Porém, fique atento: para poder usar esse benefício, é necessário cumprir requisitos como ter carteira assinada há pelo menos três anos.

Esse modelo de financiamento também pode ser enquadrado em programas de habitação urbana do Governo Federal, como o Minha Casa, Minha Vida. Nesses casos, o subsídio costuma variar conforme o perfil do comprador e do imóvel que será financiado.

A possibilidade de usar o Fundo de Garantia e os subsídios do Governo é um grande benefício para o cidadão. Isso porque eles serão abatidos do valor final, fazendo com que o saldo devedor seja mais baixo, e tornando o sonho da casa ainda mais acessível.

Quais as vantagens de construir a casa própria?

Uma ótima maneira de conquistar sua casa própria é fazer a construção do zero em um terreno. Dessa forma, além de realizar o sonho de ter seu próprio imóvel, você poderá fazê-lo da forma como você e sua família sempre quiseram.

Mas, essa não é a única vantagem desse tipo de aquisição de imóveis. Confira outras:

  • Imóvel planejado pensando em suas necessidades, desejos e rotina;
  • Imóvel único e personalizado com todos os itens que você quiser: área de lazer, revestimentos, paisagismo e acabamentos da forma que você sempre sonhou;
  • Oportunidade de morar em um imóvel feito especialmente para você e a sua família;
  • Certeza da qualidade dos materiais utilizados e da obra feita, já que você mesmo poderá decidir quais serão os itens usados na obra, além de acompanhar o processo de construção de perto.

Entenda como funciona o crédito imobiliário para construção

O financiamento de imóveis prontos é muito mais comum do que o crédito para a construção de um imóvel do zero. Porém, essa possibilidade existe e pode ser muito vantajosa para realizar o sonho da casa própria.

A principal opção de crédito desta linha é oferecida pela Caixa Econômica Federal. Por meio dela, é possível usar os recursos do Fundo de Garantia dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). 

Leia também: Qual a diferença entre SFH e SFI?

Porém, é preciso saber que a Caixa não é a única instituição financeira que oferece esse tipo de serviço. Outros bancos públicos e privados, bem como fintechs também trabalham com essa linha de crédito.

Para conseguir um financiamento para construção, normalmente é necessário cumprir os seguintes requisitos:

  • O valor das parcelas não pode passar de 30% da renda familiar mensal;
  • O solicitante deve ter capacidade civil e de pagamento;
  • O solicitante deve ser brasileiro ou ter visto permanente no Brasil;
  • É necessário ter mais de 18 anos ou ser emancipado, em casos de pessoas com 16 anos completos;
  • É necessário ter o nome limpo, ou seja, não estar na lista de inadimplência dos órgãos de proteção ao crédito;
  • O lote no qual o imóvel será construído deve estar apto para esse tipo de obra.

Cada instituição financeira define o valor máximo e mínimo a ser financiado, além da forma e do prazo de pagamento das parcelas. As instituições também definem a lista de documentos necessária, que tende a aumentar de acordo com o valor a ser financiado.

Os documentos da obra necessários para a solicitação de um financiamento para construção costumam ser os seguintes:

  • Alvará da construção, documento emitido pela Prefeitura local;
  • Planta baixa, fachadas e outros projetos auxiliares;
  • Cronograma físico-financeiro de toda a obra;
  • Memorial descritivo de todos os materiais e serviços.

Quando o financiamento de obra pode ser negado?

Existem casos específicos nos quais o consumidor pode não conseguir fazer um financiamento para a construção de seu imóvel. Normalmente, os principais motivos para esse impedimento são os seguintes:

  • O solicitante tem nome sujo na praça, ou seja, seus dados constam nas listas de inadimplência dos órgãos de proteção ao crédito;
  • O solicitante não possui renda compatível com o valor solicitado;
  • O solicitante não possui ou não apresentou todos os documentos necessários;
  • O solicitante possui score baixo nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa;
  • A idade do solicitante é incompatível.

Embora todas as razões listadas atrapalhem o consumidor, a negativação é a causa mais prejudicial entre todas. Antes de liberar o financiamento, as instituições costumam fazer análises de crédito e passam a olhar com desconfiança o consumidor negativado.

Isso porque há evidências de que ele também pode atrasar ou não fazer o pagamento do novo crédito solicitado. Mesmo que a instituição libere o crédito, normalmente as taxas serão mais altas devido ao risco de inadimplência.

Se esse é o seu caso, baixe agora mesmo nosso e-book sobre negociação de dívidas para saber como se organizar e não ter que desistir do sonho de sua casa própria!

Como escolher o melhor tipo de financiamento para construção?

A construção de um imóvel envolve três grandes necessidades financeiras:

  1. Para adquirir o terreno;
  2. Para financiar a mão de obra profissional;
  3. Para adquirir os materiais necessários para a construção.

Até pouco tempo atrás, existiam apenas algumas linhas de crédito para construção, sendo que a maioria delas financiava apenas a mão de obra e os materiais necessários para a construção. 

Dessa forma, o cliente precisava ter dinheiro próprio para comprar um terreno, e apenas a construção era financiada. Porém, a boa notícia é que hoje é possível financiar tanto o terreno quanto a construção em si usando uma única linha de crédito. 

Diante disso, o primeiro passo para escolher o melhor tipo de financiamento para sua construção, é definir a modalidade do financiamento. Ou seja: se você irá financiar o terreno e a construção, apenas a construção ou apenas os materiais de construção.

Após essa definição, é necessário estimar o valor do imóvel. Essa informação é essencial pela razão que já citamos acima: o financiamento não cobre 100% do custo total. Assim, saber o valor do imóvel ajuda no planejamento necessário para que você possa juntar esse dinheiro antes da solicitação do financiamento.

Vamos a um exemplo: se você quer financiar um imóvel que custa R$ 100 mil, e a linha de crédito tem o percentual máximo financiável de 80%, você precisará ter pelo menos R$ 20 mil guardados exclusivamente para poder complementar o valor da obra.

Porém, o indicado é que você busque financiar o menor valor possível. Além disso, é preciso incluir todos os custos no valor do imóvel, o que inclui as taxas da prefeitura, cartório e administração, além dos honorários dos engenheiros, arquitetos, pedreiros e outros profissionais.

O que analisar antes de contratar um financiamento para construção?

Agora que você já entendeu um pouco melhor sobre como funciona o financiamento para a construção, vamos falar de alguns cuidados que você precisa ter antes da contratação. Confira:

Primeiro passo

Verifique se a instituição financeira é íntegra. Busque mais informações sobre a empresa e procure conhecer sua reputação por meio de buscas online nas redes sociais e em sites como o Reclame Aqui. 

Outra forma de saber mais sobre a instituição é pesquisando seu CNPJ no site da Receita Federal. Empresas confiáveis disponibilizam essa informação em seus sites ou é possível descobrir em sites de busca.

Além disso, é possível descobrir se a agência possui autorização para realizar operações financeiras por meio do site do Banco Central. Outra maneira de se informar é pesquisar por possíveis processos contra a financeira.

Fique atento, pois nenhuma empresa séria pede pagamentos antecipados para fornecer empréstimos.

Segundo passo

Também é importante analisar todas as taxas cobradas pela empresa, bem como as condições de pagamento oferecidas por ela. Não se esqueça que além do valor das parcelas do financiamento, você também deverá pagar taxas de manutenção da instituição financeira, impostos, taxas de juros, seguro e outras tarifas sobre o crédito.

Normalmente, é possível obter essa informação por meio dos simuladores de crédito disponíveis. 

Também é possível usar calculadoras de juros compostos, disponíveis online, para analisar as condições do financiamento para construção. Além disso, lembre-se de avaliar se o valor da parcela fica dentro dos 30% de sua renda mensal. 

Terceiro passo

Tenha o projeto em mãos, mas também levante o orçamento da obra que será realizada. Essa etapa é importante porque as instituições financeiras costumam condicionar a liberação do crédito para construção ao orçamento do projeto a ser realizado.

Normalmente, esse tipo de financiamento oferece taxas de juros menores do que as praticadas por linhas de crédito convencionais. Porém, se você não possuir um orçamento específico, pode buscar por alternativas de crédito pessoal ou com garantia para conseguir condições tão boas quanto ou até melhores.

Como fazer um financiamento para construção?

Agora, vamos à parte prática. É importante saber que as linhas de financiamento para construção variam conforme a instituição financeira. Porém, abaixo trazemos o passo a passo com as exigências feitas pela Caixa Econômica para o financiamento para a compra do terreno e a construção do imóvel. Confira:

Primeiro passo: a escolha do terreno

Comprar um terreno adequado faz toda a diferença no processo de liberação do financiamento para construção. Isso porque é nesse local que você irá construir a casa dos seus sonhos e morar ao longo de um tempo.

Por isso, é importante que ele seja bem localizado, ofereça uma boa estrutura, esteja próximo de pontos do seu interesse, como escolas, academias, supermercados, trabalho e outros, e que seja loteado e vendido por uma empresa idônea e séria.

Outro ponto a ser avaliado é o tamanho do lote, já que ele precisa estar de acordo com o tipo de casa que você planeja construir e com o tamanho de sua família. Também é preciso analisar o bairro em que ele fica localizado.

Atualmente, o tipo de terreno mais procurado são aqueles localizados em bairros planejados. Isso porque eles normalmente oferecem uma infraestrutura diferenciada, e mais completa, contando com rede de água, energia e esgoto, ruas asfaltadas, área comercial, paisagismo, área de lazer e diversas outras.

Procure uma empresa de confiança para adquirir seu terreno, e busque o lote que mais te agrada entre as opções disponíveis. A empresa loteadora irá te ajudar na escolha e nos próximos passos do financiamento.

Dentre as formas de ajuda estão: a apresentação de parceiros consultores, que tornarão o processo de construção de sua casa mais simples, e a indicação da instituição financeira. Assim, o processo de envio de documentos e aprovações necessárias fica mais simples e sem dores de cabeça.

Segundo passo: a simulação de crédito

A simulação de empréstimo é a melhor maneira de se preparar financeiramente para escolher o financiamento que faz mais sentido para sua realidade. Os consultores da loteadora também poderão auxiliar na simulação de crédito, ao informar o valor exato do lote que você escolheu.

Por meio da simulação, você poderá ter uma ideia de quais serão os valores da prestação e das taxas de juros, os prazos de pagamento e as demais condições oferecidas pela instituição financeira.

Antes da liberação do financiamento, a financeira fará uma análise de crédito, por meio da qual também poderá identificar se é permitido que você use seu FGTS ou acesse os benefícios do Casa Verde e Amarela, caso você se enquadre nos critérios exigidos.

Terceiro passo: a separação dos documentos e a solicitação do crédito

Caso, após percorrer todas essas etapas, você continue com a certeza de que quer adquirir seu terreno e construir sua casa própria, então se prepare para a próxima etapa: a documentação.

Reúna todos os documentos e leve-os ou envie-os pela internet até o correspondente bancário, que será o responsável pela solicitação de crédito. Para a aprovação, será necessário apresentar diversos documentos. Normalmente, esses são os documentos solicitados:

  • Documento de identificação que possui foto;
  • Comprovante de endereço;
  • Comprovante de renda mais recente, que pode ser tanto o holerite, como o comprovante do Imposto de Renda ou ainda, um extrato de movimentação bancária;
  • Comprovante de estado civil;
  • Documentos de filhos e outros dependentes menores de 18 anos;
  • Declaração do Imposto de Renda, caso você tenha entregue no exercício anterior;
  • Podem ser solicitados outros documentos, de acordo com o perfil do consumidor.

Depois que a instituição fizer a análise e seu crédito for aprovado, você terá acesso a um documento com todos os detalhes de seu financiamento, o que inclui o valor da entrada, subsídios e FGTS, caso haja, valor do financiamento e, principalmente, o Custo Efetivo Total de seu empréstimo. Leia esse documento com muita atenção.

É muito importante que você mantenha o perfil de compra apresentado à instituição financeira até a assinatura do contrato. Ou seja, mantenha o estado civil comprovado, não comprometa sua renda com outros empréstimos e tente manter sua renda mensal dentro da estabilidade.

Quarto passo: a compra do lote e o projeto da casa

Um dos momentos mais esperados para a realização de seu sonho chegou: é hora de escolher o lote que você irá comprar e começar o projeto de sua casa.

Você deve definir qual dos lotes disponíveis será o seu e realizar a compra, formalizando-a por meio da assinatura do contrato. Pode ser que a loteadora exija um valor de sinal para garantir a reserva de seu lote até que o valor do financiamento seja repassado para ela.

Nessa etapa, você também poderá contar com a ajuda da loteadora, que poderá indicar construtores parceiros. Então, será o momento de escolher o projeto e todos os detalhes de sua futura casa.

Nesse momento, também é essencial fazer uma negociação dos valores, acabamentos e prazos de entrega. Isso porque a loteadora e a construtora são empresas distintas, que possuem suas próprias regras. 

Dessa forma, apesar de fazer a indicação, a loteadora não fica responsável pela construção do imóvel. Da mesma maneira, a construtora não fica responsável pela obra do loteamento. É essencial entender essa diferença para saber a quem cobrar em casos de problemas.

Financiamento para construção e reforma

Quinto passo: a assinatura do contrato de financiamento para construção

Após fechar contrato com a loteadora e a construtora, chega o momento de começar o processo de envio do projeto do imóvel e dos documentos do lote para a financeira. O projeto deve ser previamente aprovado pela Prefeitura local, e também estar de acordo com as exigências da instituição financeira.

Caso a documentação esteja correta, bem como os documentos de comprovação de renda e os projetos da casa, seu crédito provavelmente será aprovado. Assim, você deverá ir até uma agência física para assinar o contrato ou fazer a assinatura online usando seu Certificado Digital.

Fique atento, pois no contrato devem constar todas as informações finais do financiamento, o que inclui os valores de prestação, tempo máximo de pagamento, sistema de amortização, taxas de juros, multas e outras informações.

Leia todos esses detalhes com bastante atenção. Assim, você poderá garantir que todos eles estão de acordo com as negociações que você realizou com a instituição financeira.

Sexto passo: é hora de começar sua construção!

Depois que você finalizar o processo de assinatura de contrato junto à instituição financeira, deverá fazer o registro do mesmo no cartório para que o valor financiado seja liberado. Caso a assinatura seja feita com o certificado digital, essa etapa não é necessária.

Quando essa etapa estiver concluída, o banco liberará o pagamento de seu terreno junto à loteadora e as obras de seu futuro imóvel já poderão começar! Os valores referentes à construção são liberados conforme a evolução da obra. O valor é liberado ao consumidor, que deve fazer o repasse à construtora.

Quais são as principais opções de financiamento para construção disponíveis no mercado?

A maior parte dos grandes bancos brasileiros oferece a opção de financiamento para construção. Algumas fintechs também disponibilizam esse serviço. Porém, antes de fazer a contratação, é essencial avaliar as modalidades de financiamento para construção oferecidas por cada instituição financeira oferece, como por exemplo:

  • Crédito para reformas;
  • Crédito para ampliações;
  • Crédito para pagamento de mão de obra;
  • Crédito para compra de materiais;
  • Crédito para construção de um imóvel desde o início. 

Também é essencial conferir as condições oferecidas por cada instituição financeira. Para te ajudar em sua busca, separamos uma lista de opções disponíveis para você. Confira:

CashMe

O financiamento ideal você encontra aqui na CashMe. Ele é para todos que precisam do valor liberado para investir em imóveis residenciais ou comerciais. 

Seu processo de simulação é feito totalmente online, sem que você precise sair de casa. Feita a contratação, o saldo é depositado em sua conta e você tem liberdade para comprar os materiais, pagar a mão de obra ou tomar qualquer ação necessária para o bom andamento da sua obra. Incrível, não?

Somos especialistas em empréstimo com garantia de imóvel e, por isso, oferecemos a taxa de juros mais barata do mercado e um prazo de pagamento estendido. 

As exigências são as seguintes:

  • O imóvel deve estar no nome da pessoa que irá solicitar o empréstimo;
  • Essa pessoa não pode estar participando de nenhum outro tipo de financiamento;
  • A documentação do imóvel deve estar regularizada;
  • O proprietário deve passar por aprovação de crédito.

Para a contratação, é preciso atender aos seguintes requisitos:

  • Ser brasileiro ou naturalizado;
  • Caso seja estrangeiro, é necessário apresentar o visto de permanência no país;
  • Ser maior de 18 anos ou ser emancipado;
  • Contratar uma apólice de seguro contra Danos Físicos do Imóvel, também conhecido por sua sigla DFI e outra por Morte e Invalidez Permanente, conhecido pela sigla MIP.

Caixa Econômica Federal

A Caixa é referência em linhas de crédito voltadas a imóveis. Isso porque a instituição está bastante envolvida com a gestão de fundos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), além de ser a atual administradora do FGTS.

​O crédito habitacional da Caixa é feito pelo SFH e tem a alienação fiduciária como garantia. Dessa maneira, o imóvel é a própria garantia do empréstimo. Por meio dele, é possível usar o FGTS e são cobradas as taxas de ​Avaliação e de Administração de Contrato.

A instituição também possui uma linha exclusiva para quem já possui um imóvel e precisa de crédito apenas para a compra do material de construção: o Cartão Construcard Caixa. Confira as principais vantagens e desvantagens do Construcard.

Seu funcionamento é parecido com o de um cartão de crédito normal, mas ele só é aceito em lojas credenciadas junto à Caixa. As lojas recebem o pagamento das compras à vista, enquanto o usuário tem até 240 meses para fazer o pagamento para a Caixa. Como o lojista recebe o pagamento à vista, o cliente passa a ter mais poder de negociação, podendo conseguir preços mais vantajosos.

Banco Santander

O Banco Santander também possui financiamento para construção. Para dar início ao processo de solicitação, você só precisa entregar as documentações do cliente, do imóvel e do projeto de obra diretamente com um gerente Santander.

O Banco ainda possui o +Vezes Santander, uma solução simples e rápida para comprar produtos ou serviços com prazos estendidos, sem a necessidade de usar o limite do cartão de crédito ou abrir uma nova conta.

Dentre as opções de lojas parceiras do +Vezes, estão diversas lojas de materiais de construção. Nesse caso, você tem o crédito em um dia útil, em uma transação 100% online e sem burocracia. É possível parcelar suas compras em até 96 meses (8 anos), sem consumir o limite do seu cartão.

Cooperativa Sicoob

A Cooperativa Sicoob também oferece financiamento para aquisição de terreno e para construção em terreno próprio. Para a aquisição de lote ou terreno urbano e residencial, é possível financiar até 80% do valor de avaliação, com prazo de até 10 anos (120 meses).

Já para a construção, é possível financiar até 80% do valor de avaliação do seu projeto, com prazo de até 20 anos (240 meses). Como esse é um modelo de negócio diferente do praticado pelos bancos tradicionais, a Sicoob pode oferecer melhores condições de pagamento.

Banco Bradesco

Com o Crédito Imobiliário Construção do Bradesco, você tem mais de 25 anos para pagar, consegue financiar até 70% do custo total, o que não inclui mão de obra, e até dois meses para pagar a primeira parcela.

O valor mínimo é de R$ 350 mil e o cliente tem até dois anos para terminar a construção da casa após o financiamento. A taxa de juros é de 10,70% ao ano. O FGTS só pode ser usado nos seguintes casos:

  • Depois que a obra for averbada, desde que enquadrado nas regras do FGTS e do SFH;
  • Para quitar o financiamento, reduzir o número ou valor das parcelas.

Também é possível escolher o sistema de amortecimento: SAC (limite de até 30% da renda líquida) ou TP (limite de até 15% da renda líquida) para pagamento da prestação atualizada.

O Banco ainda possui o CDC Reforma de Imóveis, Condomínios e Reúso de Água, por meio do qual é possível parcelar em até 48 vezes, o cliente tem até 62 dias para pagar a primeira parcela e até 70% de financiamento na reforma. O valor das parcelas é a partir de R$ 20.

Creditas

A Creditas promete ter “O empréstimo para construção mais barato do mercado”. Quem quer construir ou reformar um imóvel pode solicitar um empréstimo em uma dessas duas categorias:

  1. Veículo em garantia, com valores de R$ 5 mil a R$ 150 mil e taxas de juros a partir de 1,49% ao mês.
  2. Imóvel em garantia, com valores de R$ 50 mil a R$ 3 milhões e taxas de juros a partir de 0,89% ao mês + IPCA.

Com esse tipo de financiamento para construção, é possível comprar materiais, alugar equipamentos, contratar profissionais e fazer tudo o que for necessário para a reforma ou construção de seu imóvel. Além disso, o processo é todo online.

Qual é a melhor instituição financeira para financiar uma construção?

Agora que você já conhece as principais instituições que oferecem esse tipo de serviço, deve estar se perguntando qual delas oferece o melhor financiamento para construção. Saiba que a melhor linha de crédito é aquela que possui um valor que se encaixa em sua realidade e suas necessidades, e que ainda oferece o CET mais baixo do mercado.

Por isso, é essencial que você faça uma boa avaliação entre as opções para comparar as condições oferecidas, ou seja, as taxas, impostos, prazos de pagamento e valor a ser financiado.

Se você quer um financiamento para construção que cubra todo o valor da obra, incluindo mão de obra, materiais, finalização e até móveis e decoração, então as melhores opções entre as listadas são as oferecidas pelas fintechs.

Como financiar material de construção?

Diversas instituições financeiras oferecem linhas de crédito exclusivas para o financiamento de materiais de construção. Normalmente, esse tipo de crédito faz mais sentido para quem já possui um imóvel pronto e precisa fazer apenas reformas ou ampliações.

No Brasil, o financiamento para a compra de imóveis já prontos não permite que uma parte do crédito seja aplicada em renovações ou outras obras. Dessa maneira, se seu plano era comprar um imóvel pronto e reformá-lo, terá que pensar em uma outra fonte de dinheiro para esse projeto.

Qual é o melhor financiamento para material de construção?

Da mesma maneira, o melhor financiamento para material de construção varia conforme o perfil e as preferências pessoais de cada consumidor. Normalmente, as pessoas preferem obter as linhas de crédito oferecidas pela instituição na qual já são correntistas.

Porém, é preciso tomar muito cuidado, pois apesar de essa ser uma escolha cômoda, pode acabar sendo a opção mais cara. Por isso, é preciso analisar as condições oferecidas e fazer um comparativo com o que é oferecido por outras instituições.

Porém, uma das opções de crédito mais vantajosas que podem ser usadas para a reforma, que inclui desde o material de construção até os móveis e decoração, é o empréstimo com garantia de imóvel. 

Essa é uma boa opção para pessoas que já possuem imóveis quitados ou têm saldo devedor de apenas 30% do valor total do imóvel. É possível refinanciar seu imóvel com taxas abaixo das normalmente praticadas no mercado, e o imóvel fica como garantia para a instituição financeira nessa operação.

Nesse empréstimo, o dinheiro pode ser usado da maneira que você preferir para a ampliação ou reforma: para pagar a mão de obra ou contratar profissionais de paisagismo, por exemplo. Esse tipo de item não poderia ser pago com linhas de crédito tradicionais, como o Construcard, que deve ser usado exclusivamente para os materiais de construção.

Como funciona o financiamento para construção de prédio residencial?

Algumas instituições financeiras também oferecem financiamento para a construção de prédio residencial. Esse tipo de crédito tem como vantagem o fato de que, muitas vezes, a contratação de financiamentos por meio da instituição financeira credora é facilitada para os compradores das unidades construídas, mesmo ao longo do processo de construção.

Por exemplo, a Caixa dispõe de uma linha de financiamento para a produção de imóveis. As linhas oferecidas são: Alocação de Recursos, Apoio à produção, Plano Empresário CAIXA e Produção de imóvel na planta.

Para os imóveis na planta, a Caixa facilita a produção de empreendimentos imobiliários com financiamento direto para as pessoas físicas. Assim, o imóvel na planta pode ser comprado por pessoas interessadas em qualquer fase da obra. Os interessados são agrupados por uma Entidade Organizadora, que coordena a realização do empreendimento junto à construtora.

No caso do Apoio à Produção, a empresa oferece uma linha de crédito exclusiva para empresas do ramo da construção civil de todos os portes. Por meio dela, é possível financiar a compra de unidades para as pessoas físicas, enquanto o cronograma de obras é executado. 

É possível aderir a essa linha de duas formas:

Sem financiamento à Pessoa Jurídica

Voltado à produção de empreendimentos em que um grupo de clientes Pessoas Físicas irá financiar a aquisição de um imóvel na planta. Assim, esses valores somados aos recursos da empresa, serão suficientes para custear toda a obra. Nesse caso, existe a possibilidade de continuar repassando as unidades na CAIXA durante a fase de obra. 

Com financiamento à Pessoa Jurídica

Voltado à produção de empreendimentos com a possibilidade de repasse das unidades na Caixa durante a fase da obra. Ao longo da execução do cronograma de obras, os recursos dos financiamentos vindos das Pessoas Físicas são liberados direto para a construtora. Essa operação pode ser contratada em qualquer fase da obra.

A Caixa fica responsável por 100% dos recursos para a produção. Eles podem ser combinados de diversas maneiras, por exemplo: obra executada + financiamento a PJ + aporte de recursos financeiros + saldo repasse PF.

Além disso, a empresa tem até 36 meses para construção e até 9 meses de carência para iniciar a obra. O financiamento é de até 100% do custo de obra a executar. 

Quais são as vantagens e desvantagens deste financiamento?

Da mesma maneira que outros produtos e serviços financeiros, o financiamento para construção também tem prós e contras que devem ser considerados por você antes de fazer sua escolha.

Por esse motivo, abaixo trazemos duas listas com os principais benefícios e as maiores desvantagens de um financiamento para construção. Dá uma olhada:

Vantagens do financiamento para construção

  1. Ter sua casa em menos tempo

Provavelmente, você demoraria anos e anos para conseguir juntar o valor necessário para fazer a construção de seu imóvel. Dessa maneira, ter o dinheiro em mãos em apenas alguns dias representa uma grande vantagem e permite que você realize o sonho da sua casa própria em um tempo bem menor.

  1. Sair do aluguel

Embora o aluguel seja uma opção vantajosa em alguns cenários, pagar determinado valor por um imóvel que nunca será seu pode ser insustentável. Por esse motivo, ao fazer um financiamento para construção, você vai pagar por um imóvel que será seu por toda a vida.

  1. Possibilidade de usar o FGTS

Trabalhadores registrados sob o regime da Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) têm, por direito, valores mensais depositados em sua conta do FGTS. Em alguns casos, essa quantia pode ser usada no financiamento para a construção do seu imóvel.

  1. Possibilidade de se beneficiar dos programas de habitação do Governo

Outra grande vantagem é poder ser beneficiário de programas como o Casa Verde e Amarela para o financiamento para construção. Nesses casos, os descontos costumam ser bem grandes e as taxas, reduzidas.

  1. Taxas de juros e outras condições melhores do que outros tipos de empréstimo

Os financiamentos para construção costumam ter taxas de juros reduzidas, prazo de pagamento estendido e outras condições vantajosas para o consumidor. E essas condições podem ficar ainda melhores caso o cliente opte por um empréstimo com garantia. 

As taxas de juros são ainda menores e os prazos de pagamento, ainda maiores. Isso sem contar a liberdade para pagar o que for necessário, sem descontos ou a necessidade de justificar o uso para a instituição financeira.

Desvantagens do financiamento para construção

As principais desvantagens das linhas de financiamento exclusivas para construção são as seguintes:

  • Restrições em relação à forma como o crédito será usado;
  • Necessidade de apresentar projetos e plantas para solicitar esse tipo de crédito nas instituições financeiras; 
  • Análise de crédito detalhada e possibilidade de não concessão para negativados.

Como analisar uma proposta de financiamento?

Normalmente, as propostas de financiamento possuem diversas opções e índices, que podem acabar confundindo o consumidor. Além de saber o que cada um significa, é preciso saber como analisar cada item. 

Isso envolve questões como: Qual é a diferença entre as taxas pós e pré-fixadas? Quais são e quais as diferenças entre os tipos de amortização? É preciso pagar seguro habitacional? Se sim, qual é a taxa?

Analisar uma proposta de financiamento é complicado, mas estamos aqui para te ajudar. A principal indicação é: comece analisando o Custo Efetivo Total (CET) de seu financiamento.

Mas, afinal, o que é CET?

O cálculo do custo total de seu financiamento leva em consideração todas as despesas e taxas envolvidas na operação de crédito. Isso quer dizer que esse é o valor total que você realmente terá pago quando seu financiamento for quitado.

No cálculo do CET estão inclusos os valores de:

  • Taxa de juros;
  • Seguro;
  • Tarifas;
  • Taxa de administração;
  • Tributos;
  • Todas as outras taxas cobradas pela instituição.

Normalmente, o CET é representado por um percentual referente ao valor anual. Dessa forma, você consegue comparar o CET das linhas de crédito com um número diferente de parcelas.

Por exemplo, é possível comparar o CET das propostas de financiamento de uma mesma instituição financeira com 180 parcelas e com 360 parcelas.

E quanto às taxas?

Taxa prefixada

A taxa prefixada é determinada antes da contratação do financiamento. Dessa maneira, o contratante pode ter controle do valor exato de todas as parcelas a serem pagas, já que elas são fixas.

Essa opção costuma ser considerada a mais segura diante das oscilações do mercado. Isso acontece porque, com a taxa prefixada, o valor determinado em contrato não muda de acordo com o passar do tempo nem com a situação da economia.

Taxa pós-fixada

Essa taxa está vinculada aos índices de inflação ou aos juros do curto prazo. Por isso, elas variam conforme o tempo e a situação da economia do país. Dessa forma, o valor da parcela pode ser alterado todos os meses, sem que seja possível ter previsibilidade.

Nos casos de empréstimos, a taxa de juros está relacionada ao Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), que varia conforme a inflação. Assim, o valor das parcelas sobe ou desce de acordo com mudanças nos índices da inflação.

Quais são os tipos de amortização?

Os dois principais tipos de amortização, mais usados nos empréstimos, são os seguintes:

  • Sistema Francês (Price): durante o período determinado em contrato, os pagamentos não mudam;
  • Sistema de Amortização Constante (SAC): a amortização é feita constantemente, sempre da mesma maneira em cada período.

Vamos às diferenças:

Sistema Price

Esse tipo de amortização tem como principal característica o fato de que o valor da parcela é o mesmo ao longo de todo o período de pagamento. Isso significa que o valor da primeira parcela é igual ao da última.

Nesse caso, os juros são calculados sobre o valor total a ser financiado. Porém, a composição das parcelas é feita de outra forma: o cálculo das primeiras prestações prioriza o pagamento dos juros, enquanto as parcelas finais servem para amortizar a dívida.

Sistema SAC

Nesse sistema, o pagamento é feito de forma constante, mas a composição das parcelas inclui os juros acordados no momento do financiamento. Assim, os juros são calculados sobre o valor restante da dívida.

Ou seja, depois que o consumidor paga cada parcela, os juros são recalculados com base no valor que ainda deve ser pago. Assim, conforme o valor da dívida vai diminuindo, o valor das parcelas a serem pagas também vai sendo reduzido.

E quanto aos seguros?

Todos os consumidores são obrigados por Lei a contratar dois tipos de seguro para financiamentos imobiliários. São eles:

Danos Físico ao Imóvel (DFI)

Esse seguro cobre possíveis danos à integridade física do imóvel. O valor de cobertura é o mesmo valor de avaliação do imóvel. Incêndios, explosões, alagamentos e destelhamentos são exemplos de incidentes que podem causar o acionamento do DFI. Com esse tipo de seguro, tanto o credor quanto o devedor ficam protegidos. 

Morte ou Invalidez Permanente (MIP)

Funciona como um seguro de vida para o comprador. A indenização desse tipo de seguro cobre todo o saldo devedor que estiver em aberto na data em que o sinistro acontecer. Assim, o credor não fica com débitos em casos de ocorrências graves com o devedor.

Como comparar as linhas de financiamento?

Atualmente, quase todas as instituições financeiras possuem simuladores de crédito em seus sites. Assim, para comparar as linhas de financiamento, defina um perfil padrão com o mesmo valor, prazos, parcelas e todas as outras informações, e faça simulações usando esse mesmo perfil em pelo menos três sites.

Depois das simulações, faça um comparativo entre os CETs e as taxas de juros praticadas. Assim, você poderá chegar até a melhor opção. Compare também as condições de repasse e rescisão e análise outras cláusulas antes de fazer a assinatura do contrato.

Você também pode usar plataformas digitais para comparar as propostas. Existem plataformas por meio das quais é possível receber propostas de diversas instituições com apenas uma solicitação. 

Vale a pena contratar um financiamento para construção?

Os financiamentos para construção podem ser opções bem atrativas para quem quer reformar, ampliar ou construir um imóvel. Isso porque, normalmente, esse tipo de crédito apresenta modalidades versáteis de pagamento de mão de obra e materiais de construção. Assim, auxiliam no planejamento e na execução de uma obra.

Porém, qualquer decisão financeira que você for tomar precisa se iniciar pela análise de sua própria condição financeira. Não se esqueça que, em casos de atrasos, o financiamento para construção também tem juros e multas que ninguém quer pagar, não é mesmo?

Por essa razão, antes de contratar um financiamento para construção, você deve avaliar:

  • A real necessidade da obra;
  • O quanto ela vai custar;
  • Se as parcelas do financiamento para construção estão dentro de seu orçamento mensal, respeitando a margem de 30%.

Dessa forma, é importante ter a consciência de que a contratação de um financiamento para construção está relacionada a diversas decisões estratégicas e relacionadas à sua saúde financeira. Por esse motivo, estude sobre finanças e busque tomar decisões saudáveis para o seu patrimônio.

Conclusão

Um financiamento para construção pode ser uma ótima opção para quem quer conquistar a casa que tanto sonha. Se você busca uma opção de financiamento realmente vantajosa para fazer a construção do seu imóvel, opte por um empréstimo com garantia. 

Aqui na CashMe oferecemos condições únicas para ajudar você a tirar o seu sonho do papel. Conheça agora todas as vantagens de contratar um empréstimo conosco!

Esperamos que esse guia tenha te ajudado a entender como funciona o financiamento para construção. Deixe sua opinião sobre o nosso material nos comentários!


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *