CET: o que é e como funciona essa taxa

CET: o que é e como funciona essa taxa
ícone de calendario

Atualizado:
12/04/2022

ícone de calendario

Publicado:
09/12/2021

ícone de relógio

Leitura de
7 min

ícone de conversa

Comentarios
1

Redação CashMe

Redação CashMe


Muitas vezes, estão em busca de empréstimo, acabam analisando apenas a taxa de juros que é divulgada. Porém, existem diversas outras taxas envolvidas nessa operação, formando o CET. Mas, poucas pessoas sabem, realmente, o que é CET.

Ou seja, quando for solicitar um empréstimo não é apenas a taxa de juros que deve ser levada em consideração. Ou apenas se o valor da parcela caberá no seu bolso.

É importante pensar no conjunto das taxas inclusas no CET da negociação. Ela mostrará quanto você vai pagar de fato naquele empréstimo solicitado.

O CET é o Custo Efetivo Total da operação, ou seja, o valor total que será pago pela quantia que foi emprestada ou financiada. Conhecer essa taxa é essencial para que o consumidor saiba exatamente quanto terá que pagar e não tenha surpresas desagradáveis ao longo dos pagamentos.

Por esse motivo, no texto de hoje, vamos explicar o que é CET, para que ele serve, como consultar essa taxa e como fazer o cálculo do CET. Fique ligado e boa leitura!

O que é CET?

O CET é o Custo Efetivo Total, ou seja, representa o valor final e real que você vai pagar pelo crédito que está solicitando. Ou seja, é a soma de todas as despesas, taxas, tributos e encargos que incidem sobre operações de crédito.

Ele é regulamentado pelo Banco Central por meio da resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN ) n° 4.881/2020. A norma obriga todas as instituições financeiras a deixar bem claros todos os detalhes e valores das transações.

Ou seja, enquanto os juros são apenas uma parte da taxa que compõe o valor total da contratação de um serviço financeiro, o CET corresponde ao valor total da negociação. Funciona assim:

CET = juros + taxas + encargos + tributos + seguros

Algumas empresas ocultam essas cobranças, dando a impressão de que o serviço é barato apenas por ter uma taxa de juros reduzida. Porém, é preciso ficar atento com todos os valores da operação. 

É possível que uma instituição ofereça uma taxa de juros bem reduzida, mas quando o valor todo é somado, seu CET pode ser maior. Isso porque, muitas vezes, quando as pequenas tarifas são somadas, acabam deixando o serviço mais caro.

Por isso, fique atento: é direito do consumidor ter acesso ao CET antes de fechar negócio com qualquer instituição financeira.

Custo efetivo total versus taxa de juros

Taxa de juros

Representam o lucro que a instituição financeira tem quando empresta dinheiro a uma pessoa. Essa é uma forma de compensação pela concessão de crédito. Na prática, sempre que alguém pega dinheiro emprestado de uma instituição, precisa pagar as parcelas com juros.

VocÊ conhece o empréstimo com garantia? Nessa modalidade você tem acesso a taxa de juros mais barata do mercado

Quero conhecer o Empréstimo com Garantia de Imóvel

CET

A taxa de juros de um empréstimo é apenas um dos itens que compõem o CET. Outros componentes relacionados à operação de crédito são somados a ela para formar o valor total a ser pago pelo consumidor. Os outros custos que a instituição tem para ceder o crédito e outros itens que o consumidor adiciona no contrato, como seguros, também compõem essa taxa.

Comparar o CET é muito mais importante do que comparar a taxa de juros oferecidas por diferentes instituições.

Qual é a importância dessa taxa?

Muitas pessoas baseiam sua decisão em contratar um serviço de crédito apenas nas taxas de juros. Por esse motivo, muitas instituições financeiras divulgam apenas essa informação para atrair os consumidores, mas acabam compensando os juros baixos com outros encargos.

Porém, quando o consumidor analisa o CET, ele tem a noção exata do valor que vai pagar pelo empréstimo. Dessa forma, você faz um empréstimo consciente, com um bom planejamento financeiro e não corre o risco de se enrolar ou perder dinheiro.

Quem procura serviços de crédito precisa ter muita clareza de todos os valores que irá pagar. O CET é o que vai te informar o valor total a ser pago em um empréstimo ou financiamento. Por isso, só tome uma decisão após ter essa informação.

Além da consciência a respeito de todo o valor que será pago pelo consumidor, o CET o ajuda a fazer a comparação entre os reais valores cobrados por cada instituição. Vamos a um exemplo:

Instituição AInstituição B
Taxa de Juros cobrada4%5%
Tarifa de cadastroÉ cobradaNão é cobrada
Taxa administrativa6%3%

Viu como só a taxa de juros não é suficiente para avaliar um serviço de crédito? O valor final da instituição B certamente será muito menor do que o cobrado pela instituição A. 

Como o CET funciona?

O art. 7º da resolução do CMN determina que “As instituições devem, previamente à contratação das operações de que trata o art. 1º, informar o CET ao pretendente ao crédito e apresentar o demonstrativo de cálculo.”

Ou seja, todas as empresas são obrigadas por essa determinação a informar o CET antes da assinatura do contrato. Isso pode ser feito por meio do envio de planilhas ou de simulação de crédito. Essas informações também devem ser inseridas com destaque no contrato.

Por isso, para fazer uma boa comparação entre as instituições financeiras, faça diferentes pesquisas usando sempre o mesmo valor e prazo. Dessa forma, você consegue as informações sobre as tarifas cobradas por cada empresa, de acordo com suas políticas, e o CET praticado por cada uma.

Como calcular o custo efetivo total

Agora que você já entendeu o que é o CET e como ele funciona chegou a hora de aprender a calculá-lo. A partir desse cálculo é possível fazer comparativos ao solicitar seu empréstimo.

Para calcular o CET existe uma formula estabelecida pelo Banco Central que é a seguinte:

Fórmula do custo efetivo total para tomada de empréstimo

Confira abaixo o significado de cada item da formula estabelecida em resolução:

N = Prazo do contrato, descrito em dias corridos;

J – Intervalo existente entre a data do pagamento dos valores periódicos e a data do desembolso inicial, contado em dias corridos;

Dj = data do pagamento dos valores cobrados, periódicos ou não (FC~);

D0 = data da liberação do crédito pela instituição (FC0).

FC0 = valor do crédito concedido, deduzido, se for o caso, das despesas e tarifas pagas antecipadamente

FCj = valores cobrados pela instituição, periódicos ou não, incluindo as amortizações, juros, prêmio de seguro e tarifa de cadastro ou de renovação de cadastro, quando for o caso, bem como qualquer outro custo ou encargo cobrado em decorrência da operação;

Exemplo de uma simulação de Custo Efetivo Total:

Valor financiado: R$ 1.000,00

Taxa de juro: 12% ao ano ou 0,95% ao mês

Prazo da operação: 5 meses

Prestação mensal: R$ 205,73

Tarifa de confecção de cadastro para início de relacionamento: R$ 50,00

IOF: R$ 10,00 (imposto);

Difícil né? Pois é, mas não se preocupe, que exatamente por ser complexo esse cálculo que as instituições financeiras são obrigadas a informar ao cliente.

Caso queira confirmar o valor informado estabelecido em sua negociação você pode utilizar a calculadora do Procon-SP e saber todos os detalhes do cálculo.

Dicas:

  • Quando for fazer um comparativo do custo efetivo total do seu empréstimo sempre simule com o mesmo valor a ser solicitado e prazo;
  • Confira qual o melhor CET e não apenas qual a taxa de juros é mais baixa;
  • Analise as políticas de cada instituição financeira antes de fechar negócio para não ter surpresas.

Possíveis tarifas envolvidas no Custo Efetivo Total

As taxas pelas quais o CET é composto podem variar por duas razões: de acordo com a política da instituição financeira e de acordo com a análise de crédito e relacionamento entre consumidor e empresa.

Normalmente, as taxas de juros representam a maior parte desse custo, mas outras taxas podem ser incluídas. Confira quais custos normalmente compõem o CET e entenda mais sobre eles:

Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

Esse imposto é cobrado sobre empréstimos, operações de câmbio, financiamentos e títulos imobiliários. Ele é obrigatório e deve compor o CET.

Tarifa de Cadastro (TC)

Essa taxa visa cobrir os custos com a análise de crédito junto aos órgãos de proteção de crédito. Além disso, é direcionada à análise e tratamento dos dados necessários para que a operação de crédito possa começar.

Seguros

Normalmente, as instituições financeiras oferecem seguros que garantem o pagamento em casos de morte do titular ou desemprego.

Taxas administrativas

Taxas de manutenção do cadastro e administrativas também podem ser cobradas, de acordo com a política de crédito da instituição financeira.

Todas essas taxas e outras que podem ser cobradas devem estar discriminadas no contrato. Dessa forma, o consumidor saberá com clareza todos os valores que deverá pagar ao longo do acordo.

Como calcular o CET?

A norma do CMN também determina que as instituições financeiras devem apresentar o demonstrativo de cálculo do CET. Confira um exemplo de cálculo com base nas informações da calculadora do Procon-SP:

ItemValor
Valor totalR$ 200 mil
Número de parcelas240
Prestação com jurosR$ 3.026,59
Custo Efetivo Total ao ano23,17%
Juros ao mês 1,46%
Juros ao ano19,1%
CET mensal1,75

Lembre-se que essa simulação não leva em consideração as taxas administrativas e de cadastro. Ter essa informação em mãos pode te ajudar a conseguir as melhores condições para seu serviço de crédito.

Quando a planilha do CET pode ser solicitada à instituição financeira?

É direito do consumidor receber as informações do cálculo do CET antes mesmo que ele contrate a operação. Esse recebimento não significa compromisso de contratação. Ou seja, é possível fazer a solicitação à instituição financeira no momento da pesquisa.

Se você fizer a contratação, a planilha tem que ser fornecida de forma obrigatória, independente de solicitação feita por você. Ela precisa estar de forma clara e destacada no contrato.

De qualquer maneira, é essencial ficar atento aos custos adicionais informados antes e depois da contratação. Preste bastante atenção se as tarifas bancárias, seguros contratados e serviços opcionais estão registrados no documento.

Além de deixar claro no documento, é obrigatório que a instituição financeira explique cada detalhe ao consumidor. Seu papel é esclarecer todas as dúvidas do cliente quanto ao cálculo do CET e às condições de contratação da operação.

O Banco Central também exige que o CET esteja presente em informes publicitários destinados à compra ou aquisição de bens e serviços. Isso deve acontecer todas as vezes que as ofertas forem divulgadas. Ou seja, nas propagandas devem constar:

  • As taxas de juros;
  • O valor das parcelas;
  • A entrada exigida para essas condições, se for o caso;
  • O CET;
  • Custos adicionais, caso haja.

Conclusão

Informar o CET é uma obrigação de todas as instituições financeiras, além de ser um direito de todos os consumidores. Essa informação serve para que o consumidor possa fazer um bom planejamento financeiro e evitar a inadimplência.

Sempre que você precisar contratar um serviço de crédito, lembre-se de se informar a respeito do CET e utilizar essa informação para fazer comparações entre as diferentes instituições de crédito.

Esse texto te ajudou a entender um pouco mais como funciona o CET? Deixe sua opinião nos comentários!


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vander jose moreira

Vander jose moreira no 30/03/2022 a partir do 13:38

Muito bom e exclarecedor. Obrigado

1 Comentários

A CashMe utiliza cookies para melhorar a funcionalidade e o desempenho deste site, para mais informações acesse nossa Política de Privacidade.