Renegociação do FIES: como fazer

ícone de calendario

Atualizado:
28/10/2020

ícone de calendario

Publicado:
28/10/2020

ícone de relógio

Leitura de
5 min

ícone de conversa

Comentarios
0

CashMe

CashMe


Nem sempre as coisas saem conforme o planejado e, dessa maneira, qualquer um está sujeito a perder o controle sobre algumas dívidas. Por isso, neste texto vamos orientar você sobre como fazer renegociação do FIES.

Afinal, um dos nossos compromissos mais importantes tem que ser com a educação, não é mesmo? Antes de falar sobre como renegociar dívida com o FIES, vamos entender um pouco melhor o que é esse programa de financiamento?

O que é o FIES?

FIES é a sigla para Fundo de Financiamento Estudantil. Foi criado pelo Governo Federal em 2001 a partir da lei 10.260. Sua finalidade é, como diz o nome, financiar a graduação na educação superior de estudantes. 

Dessa maneira, estudantes que não conseguiram vaga na rede pública de ensino e não têm condições de arcar com as parcelas das mensalidades de universidades privadas podem se graduar na faculdade.

O governo concede o financiamento e a cobrança das mensalidades é feita somente após a conclusão do curso, com taxas de juros bastante atraentes. Durante o período em que o curso durar, o estudante precisa pagar apenas o valor máximo de R$ 150 a cada três meses. Esse valor, de acordo com o site do FIES, é referente ao pagamento de juros.

Após a conclusão, o estudante tem, ainda, 18 meses de carência para se recolocar no mercado de trabalho e organizar o orçamento antes de começar a pagar as mensalidades. Nesse período continua valendo a regra de pagamento de juros vigente durante a graduação. Ou seja, de pagamentos de, no máximo, R$ 150 a cada três meses.

Somente passada a carência de 18 meses é que começa a fase de amortização, quando o saldo devedor é parcelado em até três vezes o período financiado da duração regular do curso.

Entretanto, mesmo com essas condições e as baixas taxas de juros, de 6,5% ao ano, às vezes fica difícil arcar com essa dívida. Essa situação nos leva para o tema do post.

Como fazer renegociação do FIES

No caso de contratos firmados até 14 de janeiro de 2010, o prazo de amortização pode ser alongado em até três vezes o período de utilização do financiamento, acrescido de 12 meses. Isso é o que o MEC (Ministério da Educação) afirma sobre a renegociação do FIES.

Assim, para negociar a dívida do FIES é preciso que, além de o contrato ter sido assinado até a data acima, cumprir com os seguintes requisitos:

  • Estar, à época do pedido de alongamento, nas fases de amortização I e II do financiamento;
  • O valor da prestação precisa ser superior a R$ 100,00;
  • A soma dos prazos das fases de amortização I e II do financiamento não pode ser igual ou superior a três vezes o prazo de permanência do estudante na condição de financiado, acrescido de 12 meses.

A solicitação da renegociação do FIES é feita por meio do SisFIES (Sistema Informatizado do FIES).

Já a renegociação do FIES novo é regulamentada pela Medida Provisória 785, de 2017 e pela portaria nº 758, de 2019. De acordo com o texto das novas regras de renegociação do FIES, o estudante fica livre para optar pela melhor condição de pagamento que encontrar no mercado.

Em ambos os casos, a solicitação gera um Termo Aditivo ao contrato de financiamento estudantil, que deve ser assinado pelo estudante que contratou o crédito e também por seu fiador na agência.

Além disso, a renegociação do FIES pode ser feita pelo estudante quando o Comitê Gestor do FIES (CG-FIES) autorizar.

Renegociação da dívida do Fies passo a passo

Vamos ver os passos necessários para proceder com a renegociação do FIES: 

  • Primeiro, acesse o site do SisFies com o seu login e senha. É nessa página que você irá encontrar as informações necessárias sobre o financiamento estudantil. Isso inclui a quantidade de meses que ainda falta pagar, o valor das parcelas remanescentes e, é claro, o valor total pendente da dívida;
  • Em seguida, é importante que você faça uma simulação da renegociação do FIES. Na sequência, vai ser solicitado a você que faça a escolha da quantidade de parcelas a serem pagas no novo contrato a ser gerado;
  • Após a conclusão dos passos anteriores, você precisa imprimir a Declaração de Desistência ou Inexistência de Ação Judicial, além do Documento de Regularidade para Alongamento de Amortização.

Depois que você estiver com todos os documentos acima, é imprescindível reunir os seus documentos pessoais. São eles:

  • RG;
  • CPF;
  • Comprovante de residência do estudante e do fiador;
  • Comprovante de renda do fiador.

De posse de todos esses documentos, é chegada a hora de ir a uma agência da instituição financeira junto à qual o contrato foi assinado.

Como funciona a dívida do FIES

É importante lembrar que a dívida do FIES não é como uma dívida bancária convencional. O motivo é sua vinculação a um órgão federal. Isso significa que, no caso de não pagamento, a dívida passa a figurar como débito com o Setor Público Federal. E não pense que isso é menos prejudicial do que uma dívida com uma instituição financeira.

Pelo contrário. Suas consequências podem ser até mais graves do que aquelas geradas a partir da inadimplência de créditos de outras naturezas.

Caso você não cumpra com suas obrigações e faça a quitação da dívida do FIES, estará sujeito a:

  • Ter o nome negativado: na prática, seu CPF será incluído no cadastro de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa e o SPC. Ou seja, você ficará impossibilitado de ter acesso a crédito e a compras a prazo;
  • Inscrição no CADIN: se trata do Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal. O que isso significa? Que você ficará impossibilitado de abrir contas em instituições bancárias, não conseguirá ter empréstimos concedidos pela rede bancária, estará sujeito a apreensão de bens e a bloqueio de restituição do Imposto de Renda.

Além disso, embora as entidades de proteção ao crédito possam até remover o nome do inadimplente de seus cadastros passado determinado período, a dívida com o Governo Federal permanece. Logo, há risco de ter bens apreendidos e bloqueados para saldar o débito.

Entendeu porque é importante proceder com a renegociação do FIES no caso de dívidas nesse tipo de financiamento?

Conclusão

Como pudemos ver, sempre existe a possibilidade de fazer renegociação do FIES. E é importante sempre estar com o pagamento dessa dívida em dia. Afinal, os riscos decorrentes da inadimplência são muito altos e esse é um tipo de dívida que não prescreve. Ou seja, será necessário regularizar sua situação com o Governo Federal em algum momento.

Como nem sempre a renegociação do FIES resolve todos os problemas financeiros, é importante fazer uma reestruturação completa da sua situação financeira. Nesse momento pode ser interessante recorrer a um empréstimo para regularizar o fluxo de caixa da família e superar um momento de maior complexidade financeira.

Para este tipo de situação é que existe o empréstimo com garantia de imóvel da Cash Me, que oferece as menores taxas de juros.


CashMe

Escrito por CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

CONCORDAR E FECHAR