Casa ou apartamento: qual a melhor opção para morar?

Casa ou apartamento: qual a melhor opção para morar?
ícone de calendario

Atualizado:
16/04/2021

ícone de calendario

Publicado:
18/04/2021

ícone de relógio

Leitura de
6 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe


Casa ou apartamento? Além do orçamento, para decidir entre um dos dois, o consumidor precisa avaliar questões como espaço, vontade de compartilhar ambientes, disposição para seguir regras comuns, interação e segurança. 

Seja para comprar ou alugar, a escolha entre casa e apartamento é um ponto importante na dinâmica de uma família. Alguns estilos de vida combinam mais com espaços compartilhados e se adaptam melhor às regras sociais de um condomínio. 

Já outros são mais propensos à privacidade e à liberdade das casas, podendo estar mais presentes e vigilantes da sua área residencial. 

O que interfere na escolha entre casa ou apartamento

É certo que ambos tipos de imóveis têm seus prós e contras. Por isso, escolher entre casa e apartamento é uma tarefa que exige uma análise da necessidade de espaço, liberdade, privacidade, estilo de vida, disposição para cumprir regras e orçamento. 

Por exemplo, uma família com um casal de filhos adolescentes pode se adaptar bem a um apartamento, principalmente se considerarmos que boa parte da rotina dos moradores irá se desenvolver fora do imóvel. O cenário muda um pouco quando temos crianças envolvidas. Algumas famílias podem se sentir limitadas no dia a dia de um apartamento ou não se satisfazem com a área de lazer de um condomínio. 

Animais de estimação e hobbies como jardinagem também podem interferir na escolha entre casa ou apartamento. Cachorros de porte grande, por exemplo, vivem melhor em espaços amplos. Já o cultivo de uma área verde, ainda que em uma cobertura, é reduzido e prejudicado pelo solo de um apartamento. 

O que acontece muitas vezes são mudanças de tipo de imóvel conforme a etapa da vida. Solteiros ou casais recém-formados costumam optar por apartamentos, assim como pessoas que passam boa parte do dia fora de casa ou viajam frequentemente também podem se beneficiar da praticidade dos edifícios. Entretanto, conforme a família vai se expandindo ou a rotina desacelera, é comum observarmos o movimento contrário: busca por mais espaço, privacidade, etc.

O perfil social de cada um também interfere nessa escolha. Afinal, em uma convivência mais compartilhada, como em apartamentos, a política da boa vizinhança e a etiqueta social são colocadas em prática mais frequentemente. Chegar e sair do seu lar pode envolver algumas interações sociais no caminho. Isso sem contar que a percepção do outro é bem menor em casas, pois você não terá ninguém vivendo embaixo ou em cima do seu imóvel. 

Um outro ponto são as regras que precisam ser seguidas em um condomínio. Em uma casa, esse regulamento é informal e determinado pela família, não interferindo na liberdade de escolha para reformas e uso do espaço externo, por exemplo.      

Além disso, os preços para comprar e alugar uma casa, geralmente, são um pouco mais elevados. Muitas vezes o orçamento até comporta esse tipo de escolha, mas o padrão do imóvel pode estar mais abaixo do que o padrão dos apartamentos com a mesma faixa de valor. Nesse ponto, também é importante considerar o pagamento das taxas de condomínio, fator inexistente para casas que não estão em condomínios verticais.  

Quer sair do aluguel? Veja como ter organização financeira para conquistar a casa própria.

Perguntas a serem feitas antes de escolher entre casa ou apartamento

A escolha pelo tipo de moradia precisa ser feita com cuidado, olhando atentamente para o estilo de vida atual e aquele que você quer ter nos próximos anos. Faça e tente responder perguntas como:

  • Estou disposto a seguir regras de um condomínio?
  • Quanto quero me envolver e participar em um convívio social?
  • Quero dividir áreas de lazer?
  • Sentirei falta de espaços privativos para cultivar um jardim?
  • Quero mais espaço para criar animais?
  • Minha família e eu sentiremos falta de uma interação social maior com vizinhos?
  • Passarei muitas horas ou dias longe de casa? 
  • Consigo garantir a segurança e manutenção da casa ou prefiro que essas responsabilidades sejam compartilhadas em um condomínio?
  • Preciso de mais liberdade, privacidade e silêncio? 
  • Vou me sentir seguro morando em uma casa? 

Casa ou apartamento: vantagens e desvantagens

É claro que essas perguntas são genéricas e que algumas características e vontades talvez precisem ser deixadas de lado em detrimento de outras vantagens. O importante é equilibrar bem os prós e os contras na sua situação para que a escolha seja acertada e que o imóvel não seja apenas funcional em sua rotina, mas também confortável e agradável para o orçamento e a dinâmica familiar. 

Vantagens e desvantagens de morar em apartamento

Viver em um apartamento não significa apenas o convívio da porta de casa para dentro. É preciso considerar a vida em um condomínio também. Assembleias, conversa de vizinhos, encontros nas áreas comuns, celebrações, decisões coletivas. Tudo fica mais próximo e você, invariavelmente, será arrastado para aspectos de um convívio social que facilmente encontra com os limites da sua vida privada. 

Ainda que regras de silêncio sejam respeitadas, é impossível não perceber que, perto de você, vivem outras famílias. A tolerância, portanto, é um pré-requisito para viver em um apartamento. 

Esse ponto ganhou uma importância ainda maior nos últimos anos, quando as pessoas passaram a incluir o home office nas suas vidas profissionais. O espaço reduzido e o barulho externo podem tornar mais estressante o tempo dentro de um apartamento para uma pessoa que estava acostumada a passar o dia fora – especialmente durante a pandemia, quando as denúncias por perturbação do sossego cresceram 73% no estado de São Paulo entre março e julho de 2020, como divulgado pelo portal G1. 

Da mesma forma, algumas decisões tomadas por você devem ser aprovadas ou estar dentro do estatuto do condomínio. Até mesmo colocar objetos ou telas na sua sacada passa a ser uma decisão que considera as leis coletivas. O uso de espaços comuns como churrasqueira, piscina e salão de festa também. Esses aspectos, em uma casa, irão depender apenas de você. 

Por outro lado, a vida em condomínio pode trazer amizades e interações prazerosas para adultos e crianças. A percepção do outro vivendo logo ao lado passa a ser um ponto positivo e negativo ao mesmo tempo. Seus vizinhos, ainda que não sejam amizades íntimas, são uma rede de apoio no dia a dia. Viajar ou passar longos períodos fora fica mais viável quando outras pessoas circulam pelo espaço comum, não deixando a sensação de um imóvel abandonado.

A manutenção também é uma vantagem em um apartamento, pois, da área privativa para fora, existirão responsáveis por cuidar de reparos, melhorias e medidas de proteção.  

Vantagens e desvantagens de morar em casa

A escolha entre casa ou apartamento pode esbarrar em questões de privacidade e liberdade, duas características principais na vida em casa. Nesse tipo de imóvel, os limites da vida privada são mais raramente interrompidos por vizinhos ou pela convivência com outros moradores da rua. 

Aquela percepção do próximo fica limitada e, a não ser que você tenha o azar de morar ao lado de casas barulhentas, o silêncio é mais presente. Esse é um ponto positivo para quem passa mais tempo em casa, faz home office ou, simplesmente, preza pela tranquilidade e privacidade.

Ainda que pequena, uma casa facilita a criação de animais, dá mais liberdade para crianças e solo para cultivo de jardins. Isso tudo contribui para que longos períodos dentro do imóvel não signifique uma restrição de ambientes ou espaço, facilitando o convívio em uma família maior.

Outro ponto importante da vida em casa é não precisar seguir as regras de um condomínio. Com exceção das regras da boa vizinhança, as decisões sobre o espaço passam apenas suas caso o imóvel não esteja em um condomínio vertical. 

Entretanto, toda essa liberdade e autonomia exigirão do morador mais envolvimento com a segurança e manutenção da casa. A ausência da taxa de condomínio pode aliviar o orçamento familiar, mas é importante se preparar para pequenos gastos com reparos do imóvel. 

Além disso, se você passa muito tempo fora ou costuma viajar por longos períodos, a casa passará a ser uma preocupação maior. Sem um condomínio para ‘cuidar’ dele, ficará muito mais nítido que o local está vazio, passando a impressão de estar desprotegido ou não vigiado. Esses últimos pontos podem ser aliviados com a escolha de um condomínio horizontal, porém, perde-se, em parte, a sensação de liberdade e privacidade.

Conclusão

Escolher entre casa ou apartamento é uma decisão que precisa considerar o estilo de vida da família, necessidade de espaço aberto, tolerância a barulhos, disponibilidade para convívio social e cumprimento de regras coletivas. 

Aspectos como privacidade, liberdade, individualidade e espaço são vantagens de viver em casa. Já questões como segurança, movimentação e manutenção do imóvel podem ser desvantagens de morar em casa.

Por outro lado, a interação social, segurança e manutenção compartilhada são vantagens de morar em apartamento; enquanto suscetibilidade a barulhos, cumprimento de regras de condomínio e restrição de liberdade no espaço privado podem ser interpretadas por algumas famílias como desvantagens de morar em apartamento.

Durante a busca por uma casa ou apartamento, você pode precisar de um dinheiro extra ou talvez queira reformar o imóvel escolhido. Se esse é o seu caso, procure saber mais sobre o empréstimo com garantia de imóvel! Essa é uma das modalidades com as condições de juros mais baixas do mercado de crédito.


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *