Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: saiba a importância desta data

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência: saiba a importância desta data
ícone de calendario

Atualizado:
31/01/2022

ícone de calendario

Publicado:
30/11/2021

ícone de relógio

Leitura de
5 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe


No dia 3 de dezembro é celebrado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, que tem o propósito de conscientizar a sociedade sobre os assuntos relacionados à deficiência.

De acordo com o decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999, a deficiência é definida como “toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano”, podendo ser permanente ou de incapacidade.

Em levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde, no Brasil, há 17,3 milhões de pessoas que têm algum tipo de deficiência.

Por isso, nesta data é muito importante discutir ações e colocá-las em prática para garantir dignidade, qualidade de vida e bem-estar para todos eles.

Confira no artigo abaixo a importância de homenagear o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e como todos nós podemos contribuir para proporcionar mais igualdade e respeito!

Qual é a origem do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência?

A data é promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), desde 1992, a fim de estimular a conscientização sobre os benefícios gerados com a inclusão das pessoas que possuem deficiência, tanto em aspectos políticos, sociais, econômicos, quanto culturais.

Além disso, são debatidos importantes temas que visam melhorar as condições de vida e de trabalho desta parcela da população.

Todo ano, é definido um tema principal para a campanha de conscientização. Veja o que foi abordado nas últimas edições:

  • Em direção a um mundo pós-Covid-19 inclusivo, acessível e sustentável (2020);
  • Promover a participação das pessoas com deficiência e sua liderança: a ação na Agenda de Desenvolvimento 2030 (2019);
  • Capacitar as pessoas com deficiência e garantir a inclusão e a igualdade (2018).

Igualmente importante, também existe o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, que é celebrado em 21 de setembro.

Saiba quais são os tipos de deficiência mais comuns

Existem variados tipos e graus de deficiência, que pode ser congênita – quando nasce com a pessoa – ou adquirida, ou seja, é desenvolvida ao longo da vida. Abaixo trazemos quais são as mais comuns e a porcentagem de cada uma delas, no Brasil, com base no levantamento do IBGE:

Deficiência física

Cerca de 3,8% dos brasileiros, com mais de dois anos de idade, têm deficiência nos membros inferiores. Enquanto 2,7%, possuem nos membros inferiores. Ela pode se apresentar de diversas formas, como mostramos a seguir.

Paraplegia: perda total ou parcial das funções motoras dos membros inferiores.

Paraparésia: perda parcial das funções motoras dos membros inferiores ou superiores.

Monoplegia: causado por lesão do sistema nervoso, é a forma mais branda da paralisia cerebral e atinge um único braço ou perna.

Monoparesia: perda parcial das funções motoras de um só membro, seja superior ou inferior.

Tetraplegia: quando há perda total das funções motoras dos quatro membros: braços e pernas.

Triplegia: perde-se totalmente as funções motoras de três membros.

Triparesia: as funções motoras são perdidas de maneira parcial em três membros.

Hemiplegia: sintoma muito frequente quando a pessoa sofre um Acidente Vascular Cerebral (AVC), se refere a paralisação total das funções motoras de um dos lados do corpo, seja esquerdo ou direito.

Hemiparesia: quando um dos hemisférios do corpo tem paralisia parcial das funções motoras.

Amputação: é perda total ou parcial de um membro ou segmento dele.

Paralisia Cerebral: significa uma lesão ocasionada em uma mais área do sistema nervoso central e causa alterações psicomotoras, limitando as atividades diárias.

Ostomia: trata-se de uma intervenção cirúrgica quando é necessário um canal alternativo para eliminar as fezes e a urina, ou ajudar na alimentação e no sistema respiratório. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que a pessoa ostomizada é uma pessoa com deficiência.

Deficiência visual

A perda total ou a redução das funções básicas do olho e do sistema visual pode ser grave e acontecer repentinamente ou ser resultado de uma deterioração gradual, quando a pessoa passa a sentir cada vez mais dificuldade de enxergar objetos a curta ou maior distância.

No Brasil, 3,4% da população é deficiente visual e ela se apresenta em diferentes tipos:

Baixa visão: quando há comprometimento das funções visuais, mesmo após tratamento ou correção oftalmológica.

Cegueira parcial: a pessoa só é capaz de contar dedos quando próximos do rosto, notam apenas vultos e identificam de que lugar vem a luz, sabendo diferenciar o que é claro e escuro.

Cegueira total: é a perda total da visão ou pouca capacidade de enxergar, decorrente de uma deficiência grave e profunda nos olhos, nas estruturas nervosas que conduzem as imagens até eles ou até ao cérebro.

Os deficientes visuais estudam o BRAILE, para que consigam fazer a leitura de materiais impressos, como livros, cardápios, assim como em tela de computador e outros suportes eletrônicos.

Deficiência auditiva

Cerca de 1,1% da população brasileira têm algum tipo de deficiência auditiva que pode ser desenvolvida em qualquer momento da vida, seja de ordem genética, por envelhecimento ou situações como exposição constante a ruídos, infecções, entre outras.

Dependendo do local da lesão auditiva, a deficiência pode ser classificada da seguinte maneira:

Surdez condutiva: acontece quando há um problema na condução do som do ouvido externo e médio para o ouvido interno;

Surdez sensorioneural: trata-se da perda da audição de maneira gradual e é causada devido a danos ao ouvido interno ou ao nervo que liga o ouvido ao cérebro;

Surdez mista: é a combinação da perda auditiva condutiva com a neurossensorial, ou seja, de forma simultânea há alterações tanto na orelha externa e/ou média quanto na orelha interna;

Surdez central: ocorre por causa de alterações nos mecanismos para processar a informação sonora no tronco cerebral e se apresenta em variados graus de dificuldade para compreender os sons.

Um ponto importante sobre as pessoas com deficiência auditiva é que nem todas elas fazem uso da língua de Libras. Isso porque a surdez tem diferentes graus: do leve ao profundo e nem todos têm a necessidade de utilizar os sinais para se comunicar.

Deficiência intelectual

No Brasil, um total de 2,5 milhões da população tem deficiência intelectual, ou seja, elas representam 1,2% das pessoas com deficiência.

Esta deficiência é caracterizada por limitações em habilidades mentais relacionadas à inteligência, tais como: atividades que envolvem raciocínio, resolver problemas e planejamento, entre outras funções.

A avaliação é feita por meio do Quociente de Inteligência (QI) com testes padronizados e o resultado para uma pessoa com deficiência intelectual é de 75% ou menos.

A importância do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Garantir que as pessoas com deficiência se sintam verdadeiramente pertencentes à sociedade é um longo caminho. Existem muitos mitos e preconceitos, como por exemplo no mercado de trabalho, onde as empresas ainda as consideram incapazes de assumir um posto de trabalho.

Por isso, é tão importante estimular debates e ações sociais, como acontece no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Além de exigir mais políticas públicas para proporcionar qualidade de vida e igualdade a esta parcela da população que muitas vezes é negligenciada.

Com a finalidade de que sejam respeitados os direitos à acessibilidade, educação e saúde, foi criada, em 2015, a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI), que também determina penalidades para atitudes discriminatórias.

Conclusão

Conforme vimos, há uma porcentagem da população que possui algum tipo de deficiência e é necessário que todas elas tenham condições de viverem uma vida digna e com qualidade.

Elas podem sim serem ativas, desde que seus direitos e suas limitações, sejam respeitados e com isso, tornem-se pessoas essenciais para a sociedade. Um exemplo prático são os atletas dos Jogos Paralímpicos e das demais competições paralímpicas.

Por meio do esporte, eles não só impressionam com as medalhas conquistadas como mostram a todos que não existem restrições físicas que os impeçam de alcançarem o que desejam.

Neste Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, todos nós podemos contribuir, seja apoiando as organizações que trabalham em prol da causa e até mesmo conscientizando amigos e familiares de que pessoas com deficiência merecem respeito e melhores oportunidades de estudo e trabalho.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais e deixe seu comentário aqui embaixo!


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *