ícone de calendario

Atualizado:
09/09/2020

ícone de calendario

Publicado:
12/10/2019

ícone de relógio

Leitura de
5 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe
Editor


Finanças corporativas é uma área voltada às decisões de caráter financeiro envolvendo o seu negócio. Ela baseia-se em uma série de estratégias para maximizar o lucro empresarial e diminuir os riscos corporativos. Sendo assim, extremamente importante em qualquer tipo de organização.

Contas a pagar e a receber são conceitos básicos para qualquer pessoa que queira montar ou que já tenha um negócio próprio. Afinal, o equilíbrio entre esses dois fatores é o que fará sua empresa manter-se viva no mercado. Porém, ao trabalhar com planejamento financeiro, existem muito mais detalhes a serem observados.

É preciso avaliar questões de investimento, empréstimo, novas aquisições de produtos ou maquinários etc. E tudo isso implica em custos. Sendo assim, trabalhar da forma correta com finanças corporativas fará com que seu negócio não apenas se mantenha existindo, mas consiga crescer. Continue com a leitura para saber mais!

Finanças corporativas: a elaboração do orçamento

O primeiro passo para utilizar adequadamente o conceito de finanças corporativas na sua empresa é definir o orçamento que esta possui. Essa análise que precisa ser feita com calma, observando dados que envolvem projeções.

Sendo assim, ter profissionais qualificados e softwares próprios da área de finanças é importante para a obtenção de resultados mais precisos.

Mas, quais dados entram nessas projeções orçamentárias? Bem, todos aqueles que envolvem dinheiro. Resumindo: receitas, despesas, investimentos e custos regulares de cada departamento.

A importância do planejamento estratégico

Ter um bom planejamento estratégico é fundamental na hora de elaborar um orçamento. Isso porque você está trabalhando com dados futuros. Portanto, é preciso analisar bem o mercado, assim como a situação atual do seu negócio e observar:

  • quais são as ameaças potenciais que podem atingir a empresa;
  • o que existe de mudança na sociedade que pode ser aproveitada pela companhia;
  • o quanto dá para crescer com a estrutura atual;
  • se vale a pena ter uma nova linha de produtos/serviços ou reduzir uma já existente;
  • entre outros aspectos.

É levando em conta essas informações que será possível criar uma estratégia de curto, médio e longo prazo. E, com base nessa estratégias, fazer as projeções corretas de despesas, receitas, investimentos e custos. E, assim, montar um orçamento sólido para tudo isso.

Finanças corporativas: a gestão das contas

Junto com o orçamento, as finanças corporativas precisam abarcar a gestão das contas a pagar e a receber.  Essa análise foca mais no presente no que no futuro. Desse modo, a ideia é que sejam feitos balancetes regulares para que os gestores consigam visualizar como está a movimentação financeira da companhia.

O controle dos gastos

Dentro dos balanços citados é preciso registrar todos os gastos que o negócio possui, sejam eles fixos ou variáveis. Sendo assim, os custos dos fornecedores, o salário dos funcionários, a despesa com alguma demissão eventual, as parcelas de empréstimos, o aluguel do prédio, tudo precisa ser controlado para saber se está dentro do previsto no orçamento.

Caso algum desequilíbrio aparece, deve-se verificar o que está causando essa desordem e buscar uma solução antes que o problema aumente.

O faturamento

A análise do faturamento é uma forma de observar se suas vendas estão dentro da meta esperada. Além disso, o controle regular sobre a receita faz com que você consiga perceber quais períodos do ano são mais rentáveis para o seu negócio e em quais existe alguma queda.

Por fim, esse dado dentro da gestão das contas é essencial para calcular o lucro e analisar o equilíbrio financeiro da companhia. Afinal, faturamento abaixo das despesas por muito tempo significa prejuízo e chances de endividamento.

As dívidas

A maior parte das companhias possui dívidas. O importante aqui, contudo, é verificar como elas afetam a saúde financeira corporativa.

Quando você tem um orçamento sólido, esses débitos já estão previamente calculados. E, mesmo que haja um menor faturamento em determinado período, o capital de giro da empresa conseguirá manter as contas equilibradas.

Porém, caso seja identificada alguma instabilidade  no momento de gestão das contas, pode ser necessário solicitar um refinanciamento dos débitos ou adiar o pagamento de alguma parcela. Pelo menos enquanto não ocorre a entrada de mais capital.

Só que antes de fazer isso, converse com seus credores e negocie juros e multas. Afinal, seu objetivo é não prejudicar ainda mais o equilíbrio das contas.  

Pode ser do seu interesse: A importância do capital de giro para o seu negócio.

Finanças corporativas: o crescimento empresarial

Além do orçamento e da gestão regular de contas a pagar e a receber, as finanças corporativas também são necessárias para o crescimento do seu negócio. Até porque, com uma área financeira forte, é possível realizar investimentos e captar empréstimos para ampliar sua produção ou local de abrangência.

A busca por investimentos

Investimento é ótimo para fazer o dinheiro render e, assim, alcançar lucros maiores e mais rapidamente do que com o faturamento regular. Porém, é necessário saber investir. Encontrar as opções certas entre tantas disponíveis no mercado não é fácil. E o problema disso é que você pode seguir por um caminho arriscado demais e ter prejuízo ao invés de rendimento.

Desse modo, peça para a sua equipe de finanças fazer uma análise de qual a melhor área para investir. Pode ser tesouro direito, bolsa de valores, fundos imobiliários, fundos de renda fixa, letras de câmbio etc.

Pode ser do seu interesse: Fundo imobiliário — entenda esse tipo de investimento.

A opção pelo empréstimo

O investimento é uma forma da empresa ampliar seu capital e, assim, ter mais dinheiro disponível para utilizar regularmente. O empréstimo, por outro lado, vale a pena quando você:

  • necessita de uma grande quantia de forma imediata para realizar uma mudança estrutural;
  • precisa quitar uma dívida alta e, assim, conseguir mais liquidez de caixa para as operações cotidianas;
  • deseja expandir o seu negócio e precisa adquirir novos equipamentos;
  • quer criar uma filial da empresa em outro estado etc

Contudo, antes de partir para uma solicitação de empréstimo, é preciso analisar com cuidado as opções disponíveis no mercado. Calcular os juros, o valor das parcelas  e encaixar tudo isso dentro do orçamento é uma ação básica para não se complicar na hora da gestão das contas.

O empréstimo home equity

Uma ótima opção de empréstimo é o home equity, ou crédito com imóvel de garantia, que é o serviço ofertado aqui pela CashMe. Nós temos taxas fixas de 0,99% para nosso principal produto o imóvel azul e prazos para pagamento que chegam a 180 meses. Além disso, conseguimos disponibilizar um capital que faz a diferença em seu negócio, com valores de R$ 50 mil, R$ 100 mil e até R$ 1 milhão.

Bem, chegamos ao final do artigo de hoje e temos certeza que você conseguiu perceber como as finanças corporativas fazem a diferença em sua empresa. A partir de agora, é só seguir as orientações repassadas ao longo do texto. Ou seja, mantenha-se atento ao orçamento, analise as contas com regularidade e reserve um capital para fazer seu negócio crescer.

E caso queira fazer um empréstimo, realize uma simulação diretamente aqui no site da CashMe!


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos para você essas noticiais:

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50).

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


CASHME SOLUÇÕES FINANCEIRAS LTDA., com sede social na capital do estado de SP, na Rua do Rócio, nº 109, 3º andar, Sala 01 - Parte, Vila Olímpia, CEP 04.552-000, inscrita no CNPJ sob o no 34.175.529/0001-68

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

CONCORDAR E FECHAR