Você já imaginou sua empresa na Bolsa de Valores vendendo ações? Esse com certeza é um passo muito importante a ser dado. Para isso é necessário participar do IPO (Initial public offering – Oferta Pública Inicial). Você sabe o que é isso?

O IPO marca o primeiro dia de uma empresa na bolsa de valores, o que consequentemente desperta o interesse e muita curiosidade de investidores.

A partir desse momento que a empresa passa a ter papéis na negociação do pregão da Bolsa de Valores, e tem seu capital aberto. Isso permite o ingresso de novos sócios.

Quer saber mais sobre o IPO e descobrir como sua empresa pode ingressar na Bolsa de Valores? Continue a leitura do nosso artigo que daremos todos os detalhes.

O que é IPO?

Quando você abre as ações da sua empresa para sócios de forma pública, ou seja, na Bolsa de Valores, isso é configurado como IPO.

Ou seja, a partir disso, a empresa deixa de ser de um único dono e passa a ter acionistas. Essas pessoas, ao comprar uma ação da sua empresa, passam a ter parte dela, mesmo que seja mínima.

Quando uma empresa decide fazer o IPO, no Brasil elas viram uma Sociedade Anônima, ou seja, uma empresa S/A.

Os preços para comprar cada ação da empresa podem variar de centavos, até milhões de reais.

Por que fazer IPO?

As empresas sempre estão de olho em capital e em expandir seus negócios para lucrar cada vez mais.

Não é diferente com as empresas que optam pelo IPO, ingressando assim na Bolsa de Valores. A venda de ações permite que a empresa tenha dinheiro de forma mais rápida, por meio dos investimentos feitos por acionistas.

A partir do momento em que a empresa tem dinheiro, ela pode investir no que foi proposto quando deu entrada na Bolsa de Valores. Por exemplo, financiar um possível projeto que foi apresentado. Isso porque existe o RoadShow, que são reuniões feitas onde a empresa apresenta seu planejamento para despertar interesse em investidores.

Sendo assim, as empresas passam a ter as seguintes vantagens ao ingressar na Bolsa de Valores:

  • Acesso a capital: muitas empresas buscam por empréstimos e outros tipos de crédito que acaba saindo muito mais caro, visto as taxas cobradas pelos bancos. Ao vender suas ações essa é uma forma de atrair capital de investimento em sua empresa. O lado negativo nesse caso é que dependendo da situação, alguns acionistas poderão ter poder para influenciar, mesmo que pouco, na empresa.
  • Liquidez financeira: ou seja, transformar aquela ação em dinheiro para a empresa. Com as ações na bolsa é possível fazer vendas na casa dos milhões em apenas um dia e aumentar o lucro da empresa.
  • Reconhecimento: se suas ações estão crescendo, sua empresa está com toda certeza no caminho certo. O nome da sua empresa estará em destaque, ganhará credibilidade e poderá ter a cada dia novos acionistas, visto sua confiabilidade.

Como abrir o IPO da minha empresa?

Em primeiro lugar, a empresa para ingressar no IPO precisa estar consolidada no mercado.

Além disso, também precisa seguir vários procedimentos burocráticos como:

  • Solicitar o registro de companhia aberta junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
  • Autorização para realizar vendas de ações ao público;
  • Solicitar listagem na B3, Bolsa Brasileira.

Também será necessário escolher o segmento da listagem da empresa, podendo ser de: nível 1, nível 2, novo mercado, Bovespa Mais e Bovespa Mais 2).

Vale ressaltar que cada um dos segmentos destacados acima tem suas respectivas exigências, por tanto, é importante pesquisar antes de escolher.

Quanto tempo demora para abrir IPO?

O processo para ingressar a empresa no IPO leva tempo e pode demorar de oito meses a três anos, em média, até ser concluído. Ou seja, nada de tentar fazer as coisas às pressas para levantar capital, pois para isso existem outras formas, por exemplo, um empréstimo para empresas.

A empresa deve passar por um processo de planejamento, além de ter uma auditoria que analisará as contas do últimos anos três anos, pelo menos.

Caso a empresa nunca tenha passado por processo de auditória, pode demorar mais tempo, visto que é necessário esperar o fechamento de um ciclo.

RoadShow

Sabe quando você vai em uma feira de eventos e tem um estande que apresenta os serviços e produtos de uma empresa? Com o roadshow não é diferente.

Ele consiste em reuniões em que é apresentada a empresa ao mercado financeiro. Os encontros são feitos pelas instituições financeiras de sua escolha, que caminham juntas no processo de IPO.

Normalmente participam dessas reuniões: potenciais investidores, analistas financeiros e corretores. Da parte da empresa, participam da reunião: executivos e o presidente.

A grande questão em reuniões como essa é atrair o investidor para acreditar no potencial do seu negócio e comprar ações.

Durante as conversas é possível esclarecer as principais dúvidas quanto a empresa por parte dos interessados nas ações fazendo eles acreditarem no projeto.

Esse processo de roadshow costuma demorar algumas semanas e ter reuniões diárias, o que torna um pouco cansativo, em alguns casos.

Conheça quais são os tipos de ofertas na bolsa

Quando são ofertadas ações na bolsa de valores elas tem dois tipos:

  • Ofertas Primárias: nesse caso, o dinheiro ganho por meio da venda de novas ações é direcionado ao caixa da empresa, aumentando assim seu capital.
  • Ofertas Secundária: os papeis das ações já eram de sócios que querem diminuir o valor ou se desfazer delas colocando-as à venda. Nesse caso, o dinheiro irá ao proprietário que vendeu a ação e não para o caixa da empresa.

Vai ingressar sua empresa em IPO?

A partir da leitura agora ficou mais fácil entender e escolher se vale a pena ingressar ou não com sua empresa em IPO. Ao ingressar sua empresa nas ações da bolsa ela fica mais visível, mas ao mesmo tempo é um processo caro e burocrático.

Sendo assim, é necessário colocar tudo na ponta do lápis e decidir junto com pessoas de sua confiança se é melhor ou não ingressar nesse mercado.

Estrear sua empresa na bolsa de valores pode ser um grande passo para o sucesso.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais!

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50).

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


CASHME SOLUÇÕES FINANCEIRAS LTDA., com sede social na capital do estado de SP, na Rua do Rócio, nº 109, 3º andar, Sala 01 - Parte, Vila Olímpia, CEP 04.552-000, inscrita no CNPJ sob o no 34.175.529/0001-68

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.