Você quer fazer sua empresa crescer, manter uma carteira de clientes fidelizados e ainda reduzir custos? Então, precisa conhecer o sistema de economia de recorrência. Cada vez mais popular no Brasil e no mundo, esse modelo é visto como a forma de gerir negócios do século XXI.

Quem adere ao formato de recorrência tem acesso a diversas vantagens. Porém, também é preciso estar atento às técnicas certas para desenvolver esse modelo da melhor forma possível.

Sendo assim, que tal ter acesso a um conteúdo completo sobre o assunto para colocá-lo em prática dentro da sua empresa? É isso que vamos apresentar ao longo do texto de hoje. Então, continue com a leitura e entenda tudo sobre esse tema que é palavra-chave dos novos modelos de gestão.

Siga acompanhando.

O que é economia de recorrência?

A economia de recorrência para ser compreendida como um modelo de negócios focado na experiência do cliente ao invés de dar ênfase na compra de produtos. Assim, o sistema de recorrência trabalha com a criação de relações sustentáveis em que o consumidor tem acesso a algo, mas sem comprar um produto único.

Essa estratégia acompanha as transformações tecnológicas e é acessível para um maior público, desde grandes companhias até pequenas empresas. Ela também supre uma tendência mundial, que é o fato das pessoas buscarem por novidade constantemente e, por isso, não terem tanto interesse em gastar altas quantias comprando um único produto.

Assim, a economia de recorrência funciona dentro do modelo de assinaturas. Ou seja, o cliente paga um valor mensal ou anual, por exemplo, e tem acesso completo aos produtos ou serviços ofertados por uma empresa. Porém, ele não é dono de nada, apenas recebe o direito de uso enquanto a assinatura estiver ativa.

A partir do momento em que não tiver mais interesse no que estiver sendo apresentado, basta cancelar o pagamento e procurar algo mais atrativo.  Tudo de forma simples e rápida.

Quais as vantagens desse modelo de negócio?

Existem diversos benefícios que a economia de recorrência proporciona ao clientes, porém as vantagens também são muitas para as empresas. E é disto que vamos tratar neste tópico.  

Melhor previsão das receitas

Por trabalhar com um formato de assinaturas, a companhia consegue fazer uma previsão mais estável sobre as receitas futuras. Afinal, é só observar os assinantes que estão cadastrados no sistema. Nas vendas tradicionais, a estimativa é mais imprecisa, pois você nunca vai ter certeza de quantas pessoas vão fazer uma nova compra na empresa.

Além do mais, os riscos de atrasos de pagamentos são muito menores, pois os assinantes, em geral, fecham os contratos usando cartão de crédito com pagamento automático. Ou seja, você sabe que no dia do vencimento do plano, o valor será descontado direto do cartão do consumidor.

Fidelização de clientes

Outra vantagem da economia de recorrência é maior possibilidade de fidelizar clientes. Afinal de contas, você não está realizando uma venda única, mas construindo uma relação com o seu público, que consome produtos ou serviços constantemente.

Sendo assim, essas pessoas tornam-se mais do que consumidores, mas parceiros da marca. Isso significa que se elas gostarem do que a empresa estiver ofertando, tendem a divulgá-la para amigos e familiares, aumentando o marketing boca a boca.

Custos reduzidos

O modelo de recorrência utiliza muitas ações automatizadas. Isso inclui questões de logística, liberação de conteúdo, contato com o cliente etc. Esse uso da tecnologia torna os processos mais rápidos e eficientes, evitando erros. A consequência é a redução de custos de forma geral.

Quais as diferenças entre economia de recorrência e clubes de assinatura?

Como deu para notar, a economia de recorrência é uma forma de vendas por assinatura, porém isso não significa que as empresas que utilizam esse modelo de negócios sejam clubes de assinatura.

Estes últimos, em geral, trabalham com produtos físicos, como livros, bebidas, roupas etc. e focam no mistério dos produtos. Ou seja, a pessoa compra a experiência de adquirir um produto exclusivo ou personalizado  que será enviado mensalmente para a casa dela.

As empresa que trabalham com essa proposta utilizam, é claro, a economia de recorrência. Contudo, existem diversas outras companhias que usam esse modelo, mas não podem ser enquadradas em clubes de assinatura.

Isso porque oferecem produtos ou serviços padronizados  e, na maior parte das vezes, digitais, de acesso comum a todos os assinantes. A única coisa que é igual é o sistema de pagamento, baseado em um pagamento recorrente.

Leia também: Clubes de assinatura: uma boa opção para começar seu próprio negócio

Quais as companhias que adotam a economia de recorrência?

Agora que você já conhece os aspectos básicos da economia de recorrência, vamos apresentar algumas companhias nacionais e internacionais que fazem uso desse modelo. Assim, será possível perceber que ele pode ser aplicado a empresa de diferentes tamanhos e que atuam em diversos segmentos.

Netflix

Voltada para serviços de streaming de filmes e séries, a Netflix tem origem americana e, hoje, é popular em diversas partes do mundo. Aqui no Brasil, são milhares de assinantes e os números aumentam para milhões ao longo do globo.

O público da Netflix tem acesso a um grande catálogo de produções audiovisuais. Assim, é possível assistir a todas as opções disponíveis quantas vezes a pessoa desejar. Ou seja, é como um serviço de locadora, só que mais rápido e prático.

Amazon

A gigante Amazon tem diversos negócios que seguem a estratégia de economia de recorrência. Ela possui serviços de streaming de música, de filmes e séries e de livros. O público pode assinar cada um deles de forma separada ou integrar todas opções em um único plano.

Spotify

O Spotify é um dos primeiros serviços de streaming de música. Por meio dele, você tem acesso a milhões de canções dos mais diversos artistas. Também é possível montar playlists e compartilhar suas músicas preferidas pelas redes sociais.

O streaming de música foi o que fez a indústria do áudio se restabelecer depois dos problemas crescentes de pirataria.

Sem Parar

O Sem Parar foi criado no Brasil e oferece um serviço diferenciado aos condutores de carros. A proposta da companhia é liberar estacionamentos e pedágios de forma automática, sem que o cliente precise se preocupar em realizar o pagamento desses locais a cada parada que fizer.

Isso ocorre por meio de um sistema de radiofrequência que identifica o veículo cadastrado no serviço e faz a liberação automática das cancelas.

Tag Experiência Literárias

A Tag outra empresa nacional que adota a economia de recorrência, porém, diferentemente de todas as companhias apresentadas aqui, ela também é um clube de assinaturas.

Sendo assim, a cada mês, os clientes recebem um livro físico surpresa acompanhado de um mimo e uma revista com conteúdo literário para completar a experiência.

Como fazer a sua empresa entrar no modelo de economia de recorrência?

Se você tiver se interessado pela economia de recorrência e quiser adotar esse modelo de negócio na sua empresa, chegou o momento de conferir algumas dicas de como fazer isso.

Analise o serviço/produto oferecido por você

De forma geral, qualquer companhia pode trabalhar com economia de recorrência. Porém, dependendo do caso, será preciso ajustar processos para adequar o seu negócio dentro do novo modelo.

Isso vai implicar em custos iniciais, além da necessidade de treinamento com a equipe para explicar a ela como funciona esse processo. Então, é preciso analisar se você terá como arcar com esses processos no momento.

Foque na experiência do cliente

Para o modelo de recorrência dar certo, é preciso que seu público mantenha-se fiel. Sendo assim, o foco da equipe de vendas e marketing não será na realização de uma compra única, mas sim no processo de manter o consumidor constantemente interessado na proposta oferecida.

Para realizar esse objetivo, é essencial levar uma ótima experiência para os clientes. Isso ocorre por meio de um atendimento rápido e humanizado e produtos e serviços de qualidade.

Crie um bom engajamento

Junto com a experiência da compra e do pós-compra, é necessário manter o engajamento dos consumidores e possíveis consumidores. Esse processo ocorre por meio do engajamento. Ou seja, as pessoas precisam gostar da sua marca e da proposta que você está oferecendo.

Desse modo, crie promoções, produza conteúdo interessante nas redes sociais e no blog da companhia, faça enquetes e esteja presente no cotidiano do seu público-alvo.  

Invista na estratégia CRM

CRM é uma sigla em inglês que, depois de traduzida, significa gestão do relacionamento com o cliente. Em resumo, ela é uma estratégia que trabalha para garantir a satisfação do cliente  e atender os seus desejos.

Tendo isso em mente, você já pode imaginar que o CRM é mais do que importante para quem vai utilizar a economia de recorrência. Afinal, ele ajuda na fidelização dos clientes, no engajamento e na construção de um bom relacionamento com o seu público.

Leia também: O que é CRM e por que ele é necessário para fidelizar o cliente

Quais cuidados você precisa ao adotar o modelo de recorrência?

Você já tem o conhecimento básico da economia de recorrência. Agora, chegou o momento de explicarmos o que deve ser observado durante o desenvolvimento dessa estratégia de vendas.

Analisar métricas de forma constante

Defina os indicadores que são mais importantes para o seu negócio e verifique como eles se comportam ao longo do tempo. Assim, será possível analisar de forma consistente como a empresa está reagindo às mudanças decorrentes do modelo de vendas por assinatura.

Ter um ótima comunicação interna

Para manter os clientes engajados, acompanhar o fluxo de vendas e o andamento das assinaturas, toda a equipe da empresa precisa estar entrosada. Isso significa ter uma ótima comunicação interna para que todos troquem informações, ajudando a otimizar os processos e evitar erros.

Investir em tecnologia

Um bom sistema de recorrência trabalha com processos automatizados. Eles são importantes na hora de cadastrar ou cancelar assinaturas, analisar problemas com clientes, agendar post nas redes sociais, enviar mercadorias, analisar métricas ou gerenciar todo o negócio.

Diante disso, o investimento em tecnologia é algo essencial para quem deseja utilizar a economia de recorrência.

Quais os livros ideais para quem quer trabalhar com economia de recorrência?

Para finalizar o nosso artigo de hoje, queremos deixar cinco opções de livros que tratam do tema abordado ao longo do texto. Assim, você pode aprofundar seus conhecimentos no assunto.

Receita Previsível

Livro escrito por Aaron Ross e Marylou Tyler. Traz um passo a passo para quem quer aumentar as vendas utilizando estratégias de outbound e economia de recorrência.

A Era do Acesso

A obra escrita por Jeremy Rifkin trata em profundidade dos modelos de assinatura, dando exemplos práticos de empresas que adotam essa estratégia.

Economia do Acesso e os modelos de negócios baseados em compartilhamento, recorrência e assinatura

Escrita por Rodrigo Dantas, a obra explica por que o possuir está sendo substituído pelo desejo de apenas acessar produtos ou serviços utilizando as assinaturas.

Cliente Automático: Criando um Negócio de Assinatura em Qualquer Indústria

O livro de John Warrillow explica como ter clientes recorrentes e fiéis e apresenta o conceito dos clientes automáticos . Além também mostra os nove modelos de negócios por assinatura que são mais interessantes para se colocar em prática.

Revisando tudo o que você aprendeu sobre economia de recorrência

Ao longo do texto, você teve contato com o conceito de economia de recorrência e descobriu quais são as principais vantagens desse modelo de negócios. Também pôde conhecer algumas grandes companhias que utilizam o sistema de assinaturas e ganham altos lucros com isso.

No material, ainda demos dicas do que fazer para levar a economia de recorrência para a sua empresa. Bem como dos cuidados que você precisa ter para aproveitar os benefícios desse modelo.

O próximo passo é aprofundar seus conhecimentos dentro de tudo o que explicamos e estudar se vale a pena ajustar a sua produção para o sistema de recorrência. Em caso positivo, conte com a CashMe para ajudá-lo nessa empreitada.

Aqui, oferecemos empréstimos ao estilo home equity com juros bem abaixo do preço de mercado e opções de parcelamento que ultrapassam os dez anos. Então, não deixe de conferir nossos serviços e verificar as melhores opções para você. Assim, será possível fazer as alterações necessárias para ampliar o negócio que possui.

Veja também:

Como investir em longo prazo? 3 dicas incríveis

Empréstimo para pessoa jurídica: é possível realizar essa contratação?

5 modelos de negócios para se apostar em 2020

Gostou do texto? Faça uma simulação com a gente!  Compartilhe e deixe a sua opinião, queremos saber.

Visite o nosso Instagram