ícone de calendario

Atualizado:
09/09/2020

ícone de calendario

Publicado:
09/09/2020

ícone de relógio

Leitura de
6 min

ícone de conversa

Comentarios
0

CashMe

CashMe
Administrator


Capital de giro para empresa é o valor necessário para manter o funcionamento das operações diárias do negócio. Usar bens como garantia e ter um plano de negócio forte são algumas dicas que podem ser usadas na hora de solicitar empréstimo de capital de giro para empresa. 

Os donos de negócio precisam descobrir como superar as dívidas e a falta de capital de giro em épocas de recessão ou baixa movimentação econômica como a causada pela COVID-19. O capital de giro é o recurso a que muitos empreendedores recorrem no dia a dia para pagar fornecedores, salários e contas enquanto não entra dinheiro no caixa.

O capital de giro para empresa nova também pode ser um obstáculo, contribuindo para a alta porcentagem de empresas que fecham nos anos iniciais, comportamento apontado pelo estudo do Sebrae

Com ou sem crise financeira, ele é fundamental para manter uma empresa com as portas abertas. O empréstimo para capital de giro para empresa acaba sendo, então, a saída para muitos donos de negócio. Veja a seguir dicas que podem ajudar na hora de solicitar o crédito! 

O que é capital de giro? Exemplo

Nas finanças pessoais, existe um valor X necessário para manter as contas do mês em dia. Quem cuida bem do seu dinheiro sabe que essa quantia deve estar sempre reservada para imprevistos como atraso de salário. O que for usado, precisa ser reposto assim que possível.  

Nas finanças de uma empresa, esse é o papel do capital de giro. Ele é a quantia que o negócio exige para continuar funcionando e costuma estar concentrado no caixa ou bens de alta liquidez (rapidamente convertido em dinheiro). 

O capital de giro precisa dar conta dos salários, pagamento de fornecedores, aluguel, tributos, contas de luz e água… enfim, despesas operacionais do dia a dia sem as quais a empresa não consegue produzir ou entregar serviços. 

Quanto devo guardar para o capital de giro para empresa?

Não existe um valor exato a ser guardado para o capital de giro, pois as despesas operacionais variam de acordo com cada negócio. Entretanto, especialistas recomendam que os empreendedores tenham como capital de giro o equivalente a pelo menos seis vezes o total das despesas mensais. 

Por exemplo, se as despesas mensais da sua empresa equivalem a R$ 20 mil, o ideal seria ter R$ 120 mil em capital de giro. 

Perceba que para determinar esse valor, é fundamental fazer e estudar o planejamento financeiro da empresa. O empreendedor deve saber exatamente o custo de manter o negócio funcionando por um mês. 

Veja detalhes de como calcular o capital de giro neste outro texto do blog. 

Como superar as dívidas e a falta de capital de giro?

Um empreendedor sabe que a maioria dos negócios leva tempo para ter um bom caixa ou começar a gerar lucro. Essas dificuldades esperadas quando somadas às imprevisibilidades de uma crise econômica, além de queimar o capital de giro do empreendedor mais precavido, pode levar a dívidas. 

Sem a previsão de entrada no caixa, pensar em construir uma reserva para capital de giro parece impossível. Nessas horas, muitas empresas precisam contar com o auxílio externo de investidores, empréstimos, programas do governo e, até mesmo, as reservas econômicas pessoais para superar as dívidas e a falta de capital de giro.

Além disso, muitas passam por cortes de gasto brutos e redução da mão de obra. 

Como conseguir capital de giro para empresa?

Em um cenário ideal, a necessidade de capital de giro de uma empresa é atendida ao longo dos meses com a destinação de parte das entradas para a construção desse valor. Porém, essa não é a realidade da maioria das empresas, em especial, o capital de giro para empresa nova e MEI. Veja abaixo algumas formas de conseguir esse valor. 

  • P2P: O empréstimo peer to peer (P2P) é uma modalidade de empréstimo coletivo que reúne em plataformas digitais empreendedores que precisam de crédito e empresas que querem dar crédito. Isso tudo sem a mediação dos bancos tradicionais, o que costuma evitar burocracias e acelerar o processo; 
  • Antecipação de recebíveis: adiantamento dos pagamentos já agendados para receber no futuro. É uma antecipação da quantia do fluxo de caixa que, normalmente, vem das compras a prazo;
  • Investidores externos: aporte vindo de pessoas interessadas em investir na empresa. A quantia pode vir de programas de investimento, possíveis sócios, investidor anjo etc. A desvantagem é que essa opção exige tempo e paciência até encontrar o investimento;    
  • Investimento pessoal: reservas de emergência, salários e outras fontes de venda do próprio empreendedor. A prática, apesar de dar uma sobrevida ao negócio, pode colocar as finanças pessoais no vermelho. A vantagem é ser um “empréstimo” para capital de giro sem taxa de juros; 
  • Linhas de crédito para capital de giro para empresas: quase todos os bancos destinam uma linha de crédito para capital de giro para empresa. Essa é a forma mais tradicional para conseguir o valor. A dica é fazer simulações e pesquisar as melhores taxas de juros antes de procurar um banco;  
  • Cheque especial: o crédito mais conhecido (e com um dos juros mais altos) pelo brasileiro também é uma realidade para pessoas jurídicas. Seu uso mais comum é para cobrir situações emergenciais por ser um crédito de contratação rápida;
  • Empréstimos com garantia de bens: empréstimos para CNPJ e CPF que usam bens (imóveis, veículos, jóias, etc) como garantia também são uma opção para conseguir capital de giro para empresas. A vantagem é não depender de linhas de crédito específicas, além de ser uma das modalidades com as menores taxas de juros para CNPJ;
  • Capital de giro para empresa na pandemia: o governo aprovou algumas medidas para diminuir o impacto da pandemia nas finanças das empresas. Entre os programas, estão linhas de crédito e incentivos para redução de risco como o PRONAMPE e o PEAC – medidas que atendem em especial o micro e pequeno empreendedor.  

4 dicas para solicitar empréstimo de capital de giro para empresa

O empréstimo acaba sendo a forma mais recorrente entre os empreendedores para conseguir capital de giro. Na hora de solicitar o crédito, algumas atitudes podem auxiliar o dono do negócio a tomar uma decisão mais acertada e encontrar condições mais vantajosas e saudáveis para as finanças da empresa.  

1. Faça projeções futuras e veja qual parcela cabe no seu bolso

Antes de escolher fazer um empréstimo, é importante analisar as projeções futuras da empresa. Dessa forma, é possível estimar o tamanho da parcela que o orçamento consegue cobrir. O crédito precisa ser uma solução pontual (jamais um hábito) para o funcionamento da empresa. Por isso, o empreendedor deve se certificar de que consegue arcar com o valor do empréstimo.  

2. Procure prazos de pagamento maiores

Essa dica vale, especialmente, para a busca por capital de giro para empresas novas. Apesar de ter que lidar com a taxa de juros por mais tempo, prazos maiores podem dar o fôlego necessário para a empresa criar ou voltar a ter um fluxo de caixa enquanto investe o crédito e administra parcelas menores do empréstimo. 

3. Use bens como garantia para conseguir melhor taxa de juros para capital de giro

Para se proteger de calotes, o banco toma medidas como oferecer condições melhores para clientes com nome limpo, score de crédito alto e, no caso de empresas, boas projeções de orçamento futuro. Isso tudo são algumas garantias que o perfil do cliente pode dar ao banco. 

Além delas, é possível usar bens como uma segurança a mais contra a inadimplência e como uma vantagem para conseguir melhores condições de crédito. Essa modalidade é conhecida como empréstimo com garantia. Esse tipo de crédito costuma ter as taxas de juros mais baixas e longos prazos de pagamento. No caso de empréstimos com garantia de imóvel, o valor do crédito também pode ser bem alto, podendo chegar em até 60% do preço de avaliação do bem.  

4. Elabore um plano de negócios forte e detalhado 

Quem oferece o crédito pode querer avaliar as chances de crescimento e potencialidade do negócio para o qual o dinheiro será destinado. Invista em um plano de negócios detalhado e com informações sobre as projeções de crescimento da empresa. Isso ajuda, principalmente, empreendedores que vão buscar capital de giro para empresa junto a bancos tradicionais, investidores, empréstimo peer to peer e algumas linhas de crédito para pessoas jurídicas. 

Conclusão 

O capital de giro é o recurso financeiro que mantém o funcionamento da empresa enquanto lucros e pagamentos não chegam ou não são suficientes para cobrir as despesas operacionais. Empréstimos, investimento pessoal e societário e linhas de crédito são algumas formas de conseguir capital de giro para empresa. 

Elaborar um plano de negócio e usar bens como garantia podem ajudar o empreendedor que decidir por um empréstimo para capital de giro para empresa. A decisão, é claro, deve ser tomada depois de uma boa análise das condições financeiras atuais e futuras, muita pesquisa e simulações de crédito. 

Se esse é o seu caso, estude e conheça o empréstimo com garantia de imóvel. Essa modalidade é uma forma de conseguir capital de giro para empresa de maneira rápida e com uma das menores taxas de juros do mercado de crédito. Faça uma simulação!


CashMe

Escrito por CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos para você essas noticiais:

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50).

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


CASHME SOLUÇÕES FINANCEIRAS LTDA., com sede social na capital do estado de SP, na Rua do Rócio, nº 109, 3º andar, Sala 01 - Parte, Vila Olímpia, CEP 04.552-000, inscrita no CNPJ sob o no 34.175.529/0001-68

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

CONCORDAR E FECHAR