Plano de negócios: o que é e como elaborar

Plano de negócios: o que é e como elaborar
ícone de calendario

Atualizado:
08/04/2022

ícone de calendario

Publicado:
07/04/2020

ícone de relógio

Leitura de
16 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe


O Plano de negócio é o primeiro passo para quem quer começar um novo negócio ou para quem quer ampliá-lo.

Ele é de extrema importância e precisa ser muito bem estruturado, pois é a partir dele que destrinchamos o planejamento operacional e financeiro de uma empresa, bem como organizamos as ideias, estabelecemos as metas e as estratégias, levantamos os dados necessários para as operações e a viabilidade, mitigamos os riscos, organizamos as informações para a captação de recurso financeiros, de pessoas e de parceiros.

Algumas fontes, usam maneiras distintas para se montar um plano de negócio para Micro e Pequenas Empresas, vamos citar algumas nesse artigo escrito com a ajuda de nosso Head de operações da CashMe Caio Guedes.

8 passos para montar um plano de negócios de sucesso

  1. No primeiro passo, deve-se conhecer o ramo de atuação, definir claramente o produto ou o serviço a ser prestado. Nessa fase também se analisa o local do negócio.
  2. A segunda etapa consiste em conhecer o mercado de atuação: quem são os clientes, quem são os possíveis concorrentes, e levantar os fornecedores. Por isso a importância de se fazer uma pesquisa de mercado seja ela primária (acessando o próprio consumidor) ou secundária.
  3. Nessa etapa também é importante definir o posicionamento do produto ou serviço: como será visto pelo mercado quanto à qualidade, ao preço, etc. Sabendo quem será o público alvo e seu perfil, pode-se traçar as maneiras de como chegar até eles de maneira mais assertiva.
  4. O plano de marketing reúne as atividades de divulgação para que o produto ou serviço chegue ao conhecimento do cliente. Para isso, usamos os conhecidos P´s do Marketing: Produto, Praça, Preço e Promoção. A comunicação é fundamental para a viabilidade dos negócios, e deve ser muito bem planejada.
  5. O Plano Operacional trata o “como fazer”, o roteiro de tudo que deve ser realizado. Planeja as instalações, os equipamentos, capacidade produtiva, a logística, as ferramentas tecnológicas, etc.
  6. O quinto passo é o Plano Financeiro. É o documento que relata os valores a serem investidos, estimam os custos, despesas e receitas, capital de giro e o fluxo de caixa. Para as empresas em funcionamento, os dados de crescimento e faturamento devem estar inclusos no plano de negócios. Esta etapa é muito importante para quem procura empréstimo online e financiamento para a viabilidade do negócio. Sem estes dados construídos através de um fundamento lógico e objetivo, as instituições não podem analisar os investimentos e fazer as projeções para os próximos meses e anos. 
  7. Análise de cenário e análise estratégica auxilia na prevenção de possíveis problemas nos resultados. A análise estratégica identifica as forças, ameaças, as oportunidades e as fraquezas (SWOT). Mostra onde a empresa se encontra e para onde ela vai.
  8. O oitavo e último passo, trata-se da avaliação e gerenciamento do plano de negócios: como o próprio nome diz, deve-se avaliar todos os pontos antes de começar a empreender. Além disso, deve-se revisar o plano periodicamente e estudá-lo para que todas as condutas sejam o mais assertivas possíveis, quando comparadas aos objetivos finais do novo negócio.

Estruture muito bem seu plano de negócios, faça um resumo executivo contendo uma síntese de todo o plano. Fale sobre a visão e a missão da empresa: qual é a trajetória que a empresa quer seguir e qual será o futuro do negócio.

O que é um plano de negócios?

Em resumo, o plano de negócios serve para que você possa organizar suas ideias e elaborar um planejamento de ações que precisam ser seguidas para que você alcance um objetivo.

O plano de negócios funciona como um documento onde você irá descrever, por escrito, quais são os objetivos do seu empreendimento e quais passos devem ser dados para que esses objetivos possam ser conquistados.

Dessa forma, você consegue reduzir os riscos e as incertezas do seu negócio. Isso porque você irá elencar os erros e problemas no papel, para que eles não venham a ser cometidos no mercado.

O plano de negócios também permite que você verifique se a sua ideia é viável e se realmente vale a pena fazer um investimento nela. O plano também vai servir para que você faça uma pesquisa de mercado, analisando a concorrência, definindo seu público, fornecedores, parceiros e etc.

Vale ressaltar que montar um plano de negócios não é uma tarefa fácil, porém não é impossível. Só é preciso que você tenha dedicação, persistência e comprometimento. Além disso, também é essencial que você pesquise bastante. Lembre-se que o plano de negócios servirá como um alicerce para que você tire o seu negócio do papel.

Qual a principal finalidade de um plano de negócios?

A principal finalidade de um plano de negócios é direcionar o empreendedor com informações úteis sobre os produtos e serviços prestados, assim como também o mercado, o perfil dos clientes, a concorrência e os fornecedores.

O plano também é importante para que o empreendedor consiga identificar as forças e fraquezas do seu negócio. Por meio de um plano bem estruturado, será possível que você consiga planejar a curto, médio e longo prazo o futuro da sua empresa.

Como conseguir investimento com um plano de negócios

Com o plano de negócios pronto, caso seja necessário, você pode começar a procurar a instituição parceira para aporte de verba, que pode ser um banco público ou privado, os chamados investidores anjos, as fintechs, os fundos entre outros. Esse mercado é conhecido como Venture Capital (Capital de risco) que a princípio precisam acreditar em seu negócio, para assim passar a investir nele.

Os valores analisados estão relacionados a quanto se precisa para os custos iniciais com a abertura ou ampliação do negócio e os custos mensais para operação. 

O plano de negócio deve estar muito bem estruturado! O investidor deve ser convencido a apostar em sua empresa. Neste momento começam as perguntas por parte dos investidores e a primeira e mais usual é: qual será o aporte inicial dos sócios no negócio? Essa análise tem como fundamento comparar o potencial de patrimônio dos sócios, com o aporte inicial do novo negócio.

Outros pontos que serão analisados e direcionados ao negócio devem estar detalhados em seu plano de negócio e eles são:

  • Robustez, o potencial de crescimento do negócio
  • Capital de giro e sua necessidade, a rentabilidade (que não deveria ser menor que a taxa de juros empregada no empréstimo)
  • Necessidade de empréstimos ou novos aportes dos sócios para financiar o Capex
  • Caixa disponível
  • EBITDA estimado
  • Payback e os valores de retorno desse investimento
  • Capacidade técnica de máquinas e funcionários, incluindo gestores e administradores diretos envolvidos na operação.

Quando seu plano de negócios for analisado por uma instituição financeira, será verificado pontos decisivos como geração de caixa operacional e reservas ou o que chamamos de “colchão de liquidez”. Em outras palavras, seria o quanto a empresa dispõe para liquidar seus custos e despesas a curto prazo, em casos de imprevistos. Esse número fala muito sobre a situação e saúde financeira da empresa. 

Por que o EBITDA é importante para um plano de negócio

O EBITDA é o indicador muito utilizado pelas instituições financeiras e fomento pois espelha o quanto a empresa gera de recurso através das atividades operacionais sem considerar os impostos e outros efeitos financeiros, ou seja, de uma maneira simplificada, é o que chamamos de geração de caixa operacional, o que as instituições olham para saber se o negócio gera lucro ou prejuízo em sua operação. Com o EBITDA (sigla em inglês que significa Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) se mede o desempenho da empresa, colocando-a num patamar de eficiência e produtividade. 

Não se contente apenas no lucro ou prejuízo da empresa, pois considerar apenas esses dados é um erro, não reflete uma análise sólida. Uma empresa pode ter lucro negativo com EBITDA positivo o que significa que o seu operacional é rentável, porém, impostos e fatores financeiros externos fazem com que ela registre prejuízos em seus demonstrativos. Os indicadores devem ser analisados em conjunto para uma análise mais precisa.

O que é o Payback no plano de negócios

Por fim, o Payback é o indicador que aponta o tempo no qual se paga o investimento inicial. Ele não é muito utilizado por instituição financeiro, porém é de grande valia para uma análise administrativa. Seu cálculo se dá por:

PayBack = investimento inicial / saldo médio do fluxo de caixa referente aos ganhos

O PayBack simples apresenta problemas no momento da análise, pois não considera o valor real do dinheiro no tempo. Neste caso recorremos ao Payback descontado, uma maneira de minimizar esse problema trazendo a análise para o tempo zero e utilizando conceitos de VPL com uma taxa de desconto:

PayBack = investimento inicial / (saldo médio do fluxo de caixa referente aos ganhos / taxa de desconto)

Entender o prazo do seu Payback, bem como a taxa de retorno do seu negócio é um passo fundamental para o sucesso do seu negócio.

Quais são as vantagens de usar um plano de negócios?

Uma das principais vantagens em usar o plano de negócios é poder identificar os erros enquanto eles ainda não saíram do papel. Dessa forma, é possível que você não cometa os erros no mercado e, assim, não prejudique o seu negócio.

Outra vantagem de usar o plano de negócios é poder fazer uma pesquisa detalhada da sua concorrência. Nesse ponto, você terá como saber, de forma detalhada, como a concorrência está trabalhando, o que precisa ser melhorado, quais suas fraquezas. Além disso, você também consegue saber onde a concorrência está acertando para que você possa fazer melhor.

Com isso, você poderá oferecer um produto ou serviço de alta qualidade para o seu consumidor, coisa que a concorrência não conseguiu fazer.

Como montar um modelo de plano de negócios: passo a passo

Mas, por onde começar a montar um plano de negócios? É isso que vamos aprender a partir de agora. Abaixo você confere o passo a passo para montar o seu próprio plano para, assim, obter resultados extraordinários na sua empresa.

Sumário Executivo

O seu plano vai começar com o Sumário Executivo. Esse sumário vai funcionar como um resumo completo do seu plano de negócios. Cuidado! O Sumário Executivo não é a mesma coisa que uma introdução ou uma justificativa do seu plano. O sumário serve apenas para que você aponte quais são os itens mais importantes do seu documento. Nele é preciso conter:

  • Resumo dos principais itens do plano de negócios
  • Dados dos empreendedores, como experiência profissional e atribuições
  • Dados do seu negócio
  • Missão do seu negócio
  • Visão do seu negócio
  • Setores de atividade
  • Forma jurídica
  • Enquadramento tributário
  • Capital social
  • Fonte de recursos

Mesmo que o Sumário Executivo seja a primeira parte do seu plano, ele não deve ser o primeiro ponto a ser realizado. Ele só deve ser feito depois da conclusão total do seu plano de negócios. Dessa forma, ficará mais fácil fazer o guia.

Além disso, o sumário deve ser algo central e sucinto, sendo uma parte independente do seu plano de negócios. Isso significa que ele pode ser enviado ou publicado sem a precisão de todo o planejamento ser conhecido. Afinal, o sumário servirá justamente como um resumo, em um espaço menor.

Missão e visão do seu negócio

A missão de um negócio é onde a sua empresa quer chegar. Ela também serve para direcionar a empresa rumo aos seus objetivos. Basicamente, a missão vai dizer qual o impacto que seu negócio deseja ter na sociedade, além de guiar seus colaboradores em questões sociais e financeiras da sua empresa.

Já a visão funciona como a trajetória da empresa. É a forma como você deseja que sua empresa esteja a médio e longo prazo, ou seja, o futuro do seu negócio. É a imagem que o seu negócio deseja conquistar por meio da sua missão e trabalho.

Descrição geral do seu negócio

Da mesma forma que o resumo, a descrição mostra o que é o seu negócio de maneira bem objetiva. Caso a sua empresa já exista há algum tempo, você deve incluir na Descrição Geral o crescimento e o faturamento do seu negócio nos anos anteriores.

Mas, se você está montando o seu plano de negócios para abrir uma nova empresa, na Descrição deve constar tudo o que você e os seus sócios, caso tenha, esperam dela.

Análise de mercado

Analisar o mercado é outra etapa importante para elaborar o seu plano de negócios. Nessa etapa, você deve entender quem são os seus clientes, fornecedores e concorrentes. Fora isso, você também deve detalhar quais são os serviços ou produtos que você pretende oferecer para o seu público-alvo.

É essencial que você conheça o público do seu negócio. Pode até parecer clichê e óbvio demais, mas vale a pena ressaltar: se você não tiver clientes, não tem como o seu negócio existir. São eles que vão fazer a sua empresa prosperar e ter lucro. Por isso a importância de entender quem são.

Plano de negócios

Caso você menospreze essa parte do plano de negócios, pode acontecer de você oferecer o seu produto ou serviço para o público errado. E isso acarretaria em grandes prejuízos para sua empresa. Certamente, não é isso que você quer, não é mesmo?

Sendo assim, procure buscar informações aprofundadas sobre quem é o seu público-alvo, quem são os seus clientes. Qual a idade deles? Onde eles moram? O que eles fazem da vida? Quais são seus hobbies? Com o que eles trabalham? Quais são suas maiores necessidades, problemas e desejos? Onde eles buscam informações? Em quem eles confiam?

E o mais importante: qual o diferencial do seu produto ou serviço? O que você vai entregar de diferente para o cliente, se comparado com a concorrência? Qual seu diferencial competitivo?

Você pode levantar essas informações através de um questionário, conversas com os seus clientes em potencial, entrevistas ou até mesmo analisando a concorrência. Esse é outro ponto que você não pode deixar de lado.

Entenda os pontos positivos e negativos da sua concorrência. Saiba quais são as ameaças e as oportunidades que você pode encontrar por meio dos seus concorrentes. Quando você coletar todas essas informações, você terá um perfil do mercado de maneira mais assertiva.

Análise estratégica do seu negócio

Agora que você já fez uma análise de mercado, é necessário que você também faça uma análise estratégica. Essa análise vai servir para que você identifique as forças, ameaças, oportunidades e fraquezas do seu negócio. Ela funciona, basicamente, como uma análise SWOT.

Nessa análise, você também deve colocar:

  • O que precisa ser feito para que a empresa cresça
  • Para onde a empresa vai quando crescer 
  • Quando será realizada às ações para o crescimento da empresa
  • Como as ações serão realizadas
  • Quais são os custos das ações

Essa segunda análise vai funcionar como uma análise 5W2H. Fazendo essas análises, você conseguirá identificar onde o seu negócio se encontra, como também para onde seu negócio deve ir ou para onde ele está indo.

Plano de marketing

O próximo passo do seu plano de negócios envolve o marketing da sua empresa. Marketing pode ser definido como um conjunto de atividades realizadas pela empresa para que essas atendam os desejos e necessidades dos seus clientes. As atividades do Marketing podem ser definidas em 4 áreas básicas, ou como é conhecido no Marketing, os 4 P’s.

Produto

  • O que o cliente quer do produto?
  • Quais atributos o produto precisa ter?
  • Como o produto será usado?
  • Qual a aparência do produto?
  • Qual o nome do seu produto?

Preço

  • Qual valor oferecido pelo seu produto?
  • Já existem referências na sua área?
  • O cliente é sensível ao preço?
  • Como o seu negócio será comparado?

Praça (Pontos de Venda)

  • Onde o cliente procura pelo seu produto?
  • Como você pode acessar canais de distribuição?
  • Qual tipo de esforço é necessário para realizar a venda?
  • Onde seus concorrentes estão?

Promoção

  • Onde você vai anunciar o seu produto?
  • Qual o melhor momento para promover o seu produto?
  • Qual o padrão de mercado para esse tipo de produto?

Com todas essas informações em mãos, ficará mais fácil saber o valor que o seu produto carrega, tanto relacionado a qualidade, como relacionado ao preço. Também será mais fácil adotar decisões mais assertivas quando você for anunciar o seu produto.

Basicamente, você deve conhecer, em detalhes, o que você está vendendo. Quando você conhece o seu produto, fica mais fácil convencer uma pessoa a comprá-lo.

Plano Operacional e Financeiro

Depois que você concluir as etapas para amadurecer o seu negócio, você vai descobrir qual será a melhor forma de executar essas etapas. E é aí que entra em cena o plano operacional e financeiro.

O plano operacional irá descrever como o seu negócio será estruturado. É aqui que você vai responder sobre a localização, equipamentos e instalações físicas da sua empresa. Nessa parte do seu plano de negócios, você também deve fazer estimativas a respeito da capacidade produtiva ou da quantidade de clientes que sua empresa conseguirá atender por mês.

Aqui você também deve informar de quantos colaboradores você vai precisar e quais serão as atividades de cada um.

Feito isso, passamos para o plano financeiro. Aqui é onde você vai descobrir se o seu negócio é financeiramente viável. Com o plano financeiro você conseguirá perceber quanto precisará investir para fazer a sua empresa sair do papel. Basicamente, deve constar no documento:

  • As estimativas de custos iniciais
  • As estimativas de despesas e receitas
  •  O capital de giro
  • O fluxo de caixa
  • O fluxo de lucros

Tanto no plano operacional, como no plano financeiro é essencial que todos os itens sejam apresentados de maneira detalhada. Dessa forma, será possível que você ofereça um panorama inicial para colocar o seu negócio para frente. Assim, você otimiza rotinas e evita prejuízos.

Planejar o investimento que você fará na sua empresa também faz parte desse procedimento. Por isso que o plano financeiro é essencial para o seu plano de negócios. Abaixo você confere algumas dicas para facilitar na hora de fazer esses dois planos:

  • Projete os custos pré-operacionais, de forma a identificar o que será preciso adquirir para que você abra sua empresa. Aqui entram itens como aluguel, taxas de registro e reforma do espaço.
  • Liste todos os equipamentos que será necessário. Esses itens entram no grupo de investimentos fixos. Vale listar ferramentas, veículos e afins, ou seja, tudo que será preciso para que sua empresa comece a funcionar.
  • Também analise se é realmente imprescindível comprar todos esses equipamentos, ou se é mais viável alugá-los ou terceirizá-los.
  • Estipule o capital de giro, ou seja, o montante de recursos para que sua empresa funcione de forma saudável, especialmente para receitas e despesas.

Análise de Cenários

A análise de cenários vai auxiliar você a prever possíveis situações que podem prejudicar os resultados do seu negócio. Com a análise de cenário, você deve responder: quais caminhos eu preciso seguir? Quais alternativas podem ser adotadas para que minha empresa não passe por situações que possam afetá-la?

A análise de cenários funciona como uma ajuda para a análise estratégica. Ou seja, com base nos cenários possíveis, quais estratégias você deve implementar para que o seu negócio venha a dar certo?

Ramo de Atividade

É a área que o seu negócio se insere no mercado. Isto é, o ramo em que sua empresa fará ou faz parte.

Localização

No seu plano de negócios, também é preciso pensar na localização da sua empresa. Isso vale, especialmente, se você for comprar o ponto onde sua empresa irá se localizar. E mesmo caso sua empresa ficar em um ponto alugado, é necessário que você escolha um lugar que tenha sentido para o seu negócio.

Afinal, se você escolher o local errado para instalar o seu negócio, será necessário fazer mudanças e novas adaptações. Isso pode lhe custar ainda mais gastos com aluguel e transportes, por exemplo, para trocar a localização do seu negócio. Como consequência, você pode acabar perdendo vendas.

Por isso, antes mesmo de escolher o local onde sua empresa estará localizada, procure fazer uma pesquisa para entender qual o melhor lugar. É importante que o lugar tenha relação com o seu público-alvo e que a área faça sentido para a sua empresa.

Imagine se o seu público-alvo for pessoas de classe média alta e você tem uma empresa localizada na periferia? Certamente, você não atingirá o seu público-alvo e, consequentemente, terá grandes perdas financeiras. Por isso, pense bem nessa parte e na estrutura do seu plano de negócios para que tudo seja feito da maneira mais assertiva possível.

Dicas de escrita

Outro ponto relevante para a elaboração do seu plano de negócios é com relação a sua escrita. O ideal é que você não use jargões técnicos, gírias ou siglas no seu documento. É importante que a linguagem do seu plano de negócios seja coerente com a proposta da sua empresa. Além disso, a linguagem deve ser profissional, mesmo que seja um projeto para o público jovem e moderno.

Outro ponto importante é que você use uma linguagem simples. Esqueça as palavras difíceis. Faça frases curtas, diretas e, quando possível, através de listas. Dessa forma, qualquer pessoa que tenha acesso ao seu plano de negócios poderá entendê-lo com facilidade. E isso vale, especialmente, para seus investidores e possíveis sócios.

Qual a importância de planejar o plano de negócios?

Logo no início do artigo, explicamos a utilidade e as vantagens de realizar um plano de negócios. Agora, vamos explicar mais a fundo a importância de realizar esse plano, apesar de acreditarmos que você já entendeu os motivos pelos quais ele não pode ser menosprezado.

Melhor visualização do seu negócio

Você notou que o documento terá todos os dados do seu negócio, certo? Com essas informações, será mais fácil visualizar, de maneira ampla, tudo que for necessário para que você faça investimentos e reduza gastos.

Referência de que caminho seguir

Com esse documento, você saberá o melhor caminho a seguir, antes mesmo de tirar as ideias do papel. Isso evita que você faça caminhos que podem fazer você perder dinheiro. Além disso, ainda permite que você analise com cuidado e faça um bom planejamento para investir com segurança.

Atrair investimentos externos

Com todo esse plano, ficará mais fácil perceber se sua empresa precisa de um investimento ou não. Afinal, você saberá com clareza o que quer para o futuro e onde sua empresa se encontra no momento atual. Isso também permitirá que você converse de forma assertiva com investidores, uma vez que você entenderá quais são as necessidades atuais e futuras do seu negócio.

Traz mais segurança

Quando você se preocupa em fazer um plano de negócios para sua empresa, você demonstra que está preocupado com o futuro da sua organização. Já empreendedores que menosprezam essa ação, passam a impressão que não se preocupam com o que está por vir.

Conclusão

Como você viu, o plano de negócios é essencial para dar o pontapé inicial na sua empresa. Sem ele, você fica sem saber claramente o potencial do empreendimento. Além disso, o documento é a principal fonte dos seus possíveis investidores.

Agora você tem um material completo e seguro para fazer o seu plano de negócios. A última dica que deixamos para você é que você faça sempre a revisão do documento. Lembre-se: é com o plano que você conseguirá estruturar o seu negócio, permitindo um maior desenvolvimento da sua empresa.

Não tenha pressa em realizar o seu plano de negócios. Qualquer passo dado errado pode significar um grande prejuízo para sua empresa antes mesmo de ela sair do papel. Sendo assim, tenha cautela, pesquise bastante, estude sobre o mercado, sobre os investimentos, enfim. Estude sobre tudo que for necessário para que sua empresa venha a dar bons frutos para você.

E se tiver qualquer dúvida, procure uma consultoria especializada para que eles possam te ajudar nesse processo. Dessa forma, elaborar esse documento ficará mais fácil e você terá menos dores de cabeça.

Agora você já sabe como elaborar e a importância de um plano de negócios. Não deixe de utilizá-lo para o sucesso do seu empreendimento.


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *