O que é IPCA? Entenda como é calculado esse índice

O que é IPCA? Entenda como é calculado esse índice
ícone de calendario

Atualizado:
24/11/2021

ícone de calendario

Publicado:
24/11/2021

ícone de relógio

Leitura de
5 min

ícone de conversa

Comentarios
0

Redação CashMe

Redação CashMe


Você sabe o que é IPCA? Esta é a sigla para Índice de Preços ao Consumidor Amplo, sendo o principal índice de inflação, que já atingiu 10,67% nos últimos 12 meses. Tanto o Governo Federal como o Banco Central utilizam o IPCA para as metas de inflação e para as alterações na taxa de juros. 

Se você ainda tem dúvidas sobre o que é IPCA e como ele impacta diretamente na vida do brasileiro, continue lendo este artigo.

O que é IPCA e para que serve?

Nos últimos meses, você provavelmente viu que produtos no supermercado subiram de preço, sentindo diretamente no bolso este aumento. Então, se você está sentindo a diferença na compra, ou até mesmo no rendimento dos investimentos em renda fixa, já dá para ter uma noção sobre para quê serve o IPCA.

O IPCA é a abreviação da sigla Índice de Preços ao Consumidor Amplo, e é calculado mensalmente nas principais cidades do Brasil pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para medir a variação dos preços de um conjunto de produtos e serviços vendidos no comércio. De acordo com o Banco Central, é o índice brasileiro oficial de inflação ou deflação. Além disso, é utilizado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) para medir a taxa básica de juros da economia, a Selic.

O principal objetivo do IPCA é verificar a variação do custo de vida médio das famílias brasileiras nestas regiões em que o índice é calculado, abrangendo cerca de 90% das pessoas que vivem nas áreas urbanas e que têm  renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

A lista de produtos e serviços é definida pelo próprio IBGE na sua Pesquisa de Orçamento Familiares (POF), que verifica o que a população mais tem consumido e qual o valor gasto. Destes itens, estão sempre inseridos: arroz, feijão, passagem de ônibus, consulta médica, entre outros. O resultado deste cálculo, indica se na média os preços aumentaram, diminuíram ou se mantiveram estáveis de um mês para o outro.

Este índice surgiu em 1979, no entanto, só começou a ser utilizado pelo Banco Central como o índice oficial da inflação em junho de 2000.

Como o IPCA é calculado?

A pesquisa de preços, realizada pelo IBGE, é coletada mensalmente, entre os dias 1 e 30, ou seja, todos os dias, nos estabelecimentos comerciais, domicílios, concessionárias de serviços públicos e internet. Como o Brasil tem 5.570 municípios, seria muito difícil realizar a pesquisa em todas elas, então, o IBGE concentra os dados nas principais áreas urbanas do país. Nestas regiões, é feito o levantamento mensalmente de aproximadamente 400 mil preços, em cerca de 30 mil estabelecimentos. Apenas os pagamentos à vista dos itens são utilizados para o cálculo.

Além disso, cada região tem um peso diferente para que seja realizado o cálculo, pois há municípios cujo tamanho da população e relevância econômica são maiores. Os itens também possuem pesos diferentes. 

Quais regiões, produtos e serviços são pesquisados pelo IPCA?

Como mencionamos, cada região e tipo de gastos possuem pesos diferentes. A Pesquisa de Orçamento Familiares, feita pelo IBGE é atualizada de tempos em tempos, afinal o consumo atual é diferente de 10 ou 20 anos atrás. Atualmente, são 377 produtos e serviços que compõem a pesquisa, entre eles arroz, feijão, carne, transporte, plataformas de streaming, mercado pet, serviços médicos, cabeleireiro e barbeiro, entre outros. Estes itens são separados em 7 categorias.

Você pode conferir abaixo, os pesos de cada região e dos itens.

Peso por região - Calculo de IPCA
(Dados: IBGE)

(Dados: IBGE)

O que é IPCA-15 e IPCA-E?

O IPCA é o indicador central da inflação, mas há outros índices que giram em torno dele, como é o caso do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), cujo período de coleta vai do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês seguinte, e o Índice de Preços ao Consumidor Amplo-Especial (IPCA-E), que representa o índice acumulado a cada trimestre pelo IPCA-15.

O que é IPCA acumulado?

O IPCA acumulado significa que o conjunto de preços está sendo avaliado ao longo de um período, no caso, 12 meses consecutivos. Normalmente é usado para mensurar o efeito dos preços que se movimentaram nestes meses, além de comparar outros intervalos. Por exemplo, com o aumento da inflação para 1,16% (setembro de 2021), o índice acumulado chegou a cerca de 10,25%, o que não acontecia desde fevereiro de 2016.

Caso você queira verificar o IPCA acumulado de outros anos, é possível pela Calculadora do Cidadão do Banco Central

Na tabela abaixo, você pode analisar o IPCA acumulado de outubro de 2020 a outubro de 2021.

IPCA Acumulado nos últimos 12 meses
(Dados: IBGE)

Qual a relação do IPCA com o salário?

O IPCA serve para a população entender se o seu poder de compra cresce, diminui ou fica estável em relação ao mês anterior ou nos últimos 12 meses. Por exemplo, se o IPCA sobe 6% ao longo de um ano, porém o rendimento do trabalhador sobe apenas 4%, quer dizer que o brasileiro está empobrecendo, pois seu poder de compra está diminuindo.

É por isso que o salário mínimo precisa crescer acima da inflação, para que o cidadão ganhe poder de compra.

Qual o IPCA hoje? 

Segundo dados do IBGE, o IPCA do último mês (outubro) atingiu 1,25%. Confira na tabela abaixo os índices de 2021:

Inflação mês a mês - IPCA do mês (%)
(Dados: IBGE)

O que faz o IPCA aumentar ou diminuir?

O IPCA costuma oscilar mensalmente, e existem alguns motivos para isso. Primeiramente, os preços de uma economia se ajustam com base na lei da oferta e demanda. Em resumo: se um produto tem muita procura, e a oferta deste item permanece igual ou diminui a disponibilidade, o preço sobe. Caso contrário, se a demanda diminui e a disponibilidade fica alta, o preço tende a cair. 

Além disso, o preço do dólar também é levado em consideração, visto que o brasileiro consome muitos produtos importados. Se a cotação do dólar aumenta, o preço do produto também. Outro indicador é a quantidade de dinheiro em circulação, quando a economia está aquecida, com alto consumo e renda, o IPCA costuma subir.

Vale mencionar que a redução do IPCA não quer significa que os preços gerais diminuíram, mas sim que o crescimento foi menor que no mês anterior. Para ter queda nos preços (deflação), é preciso que o IPCA seja negativo.

Como o IPCA impacta os investimentos?

Todos os investimentos em renda fixa são impactados pelo IPCA, afinal, para garantir rentabilidade, é preciso que seu investimento no mínimo seja acompanhado pela inflação, e assim manter ou ampliar o poder de compra. Por exemplo, caso a inflação esteja 5% ao ano, e o investimento com retorno seja de 3%, você teria uma rentabilidade negativa. Agora, se o investimento tiver um retorno de 8%, você garantiria o seu poder de compra.

Investimentos que são que são afetados pelo IPCA:

  • Tesouro Direto;
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA);
  • Fundos de Investimento;
  • Certificados de Depósito Bancário (CDB);
  • Debêntures.

Conclusão

O IPCA é o índice oficial da inflação no Brasil. Seu cálculo é realizado mensalmente pelo IBGE, e mede a variação dos preços de produtos e serviços vendidos e consumidos pelas famílias brasileiras que possuem renda mensal de 1 a 40 salários mínimos, independente da fonte de renda.

A pesquisa é realizada nas principais regiões do país, sendo coletados aproximadamente 430 mil preços de 30 mil estabelecimentos comerciais, domicílios, concessionárias de serviços públicos e internet.

O conteúdo esclareceu as suas dúvidas? Então, agora que você já sabe o que é IPCA, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!


Redação CashMe

Escrito por Redação CashMe

Equipe de redação de CashMe. Todos os conteúdos são revisados por especialistas do ramo e atualizados periodicamente.


Separamos mais essas notícias para você:

Faça seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *