Para você que está adentrando ao mercado de imóveis agora, índice IGPM pode ser um assunto que talvez nunca tenha ouvido falar. Mas ele tem grande relevância em sua área.

Este pode definir o que será uma boa ou uma má venda, permitindo que o vendedor possa regularizar seus preços de acordo com o mesmo, a fim de concretizar a negociação do imóvel. Além de outros importantes dados que o mesmo oferece.

No artigo de hoje, apresentaremos a você, caro leitor, um pouco mais sobre o índice IGPM e por que tem tanta importância nesta área tão tradicional do mercado comercial.

Aproveite e boa leitura!

Índice IGPM é um fator de preço determinante

O Índice Geral de Preços de Mercado, que nos referimos como índice IGPM, trata de apresentar dados relevantes a todas as áreas do mercado comercial. E claro que este também influência na área imobiliária.

Este é considerado por muitos o termômetro da economia brasileira, uma vez que neste é possível entender o preço médio do mercado, quais a suas tendências, o que está em baixa e como definir o preço da sua mercadoria poderá ser o diferencial para conquistar o público.

Todo mês o IGPM é publicado no Portal Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), medindo e mostrando os valores entre os dias 20 e 21. Ele abrange todo o território nacional.

Estes é um dos principais índices utilizados no país como base para correções e ajustes dentro do mercado comercial. No mercado imobiliário, ele é o item mais forte para se definir preços de contratos de aluguel.

Para que serve o Índice IGPM?

Além das funções descritas acima, este possui dois principais objetivos a serem alcançados: servir de base de cálculo para ativos, como bens, créditos e valores e medir a movimentação dos preços dentro do mercado comercial de nosso país.

Este conta com três principais características, sendo estas:

·       Importante indicador macroeconômico – Mapeia valores de todos os setores da economia e permite mostrar os dados gerais dos preços de mercado. Outros indicadores importantes são o PIB (Produto Interno Bruto) e as taxas de desemprego, uma vez que estas têm grande impacto no volume de compra;

·       Deflator de valores monetários – Este se trata de um coeficiente de correção e dos valores, tendendo a manter a inflação de acordo com as verdadeiras altas do mercado;

·       Indexador de contratos – Estes são índices que servem de referência para reajustar contratos, como os de compra, venda e aluguel de imóveis;

Cada um destes pontos são minuciosamente avaliados por investidores de mercado, já que estes apresentam todas as informações que eles precisam para realizar um bom investimento.

No que influencia o Índice IGPM?

O Índice Geral de Preços de Mercado influencia diretamente em quase tudo que consumimos. É impossível que qualquer coisa que você compre não tenha sido diretamente atingida pelo IGPM. Isto, claro, quando falamos de produtos populares de nossas rotinas.

O cálculo deste é feito através de monitoramento dos mais variados tipos de produtos comuns na rotina de nosso povo. Monitorando matérias gerais, desde as de origem animal até bens e serviços utilizados pelo cliente final, ele levanta cada um destes valores, os comparando e tirando uma média da área de cada um deles.

Ele é utilizado como deflator de valores de produtos básicos como:

  • Energia elétrica;

  • Instituições de ensino particulares;

  • Planos de saúde;

  • Grande parte dos contratos do mercado imobiliário;

Estes são alguns dos diversos importantes itens que são diretamente influenciados pelo índice IGPM.

Calculando o Índice IGPM

O cálculo deste é feito através de monitoramento dos mais variados tipos de produtos comuns na rotina de nosso povo. Monitorando matérias gerais, desde as de origem animal até bens e serviços utilizados pelo cliente final, ele levanta cada um destes valores, os comparando e tirando uma média da área de cada um deles.

Este é o da soma de 60% do resultado da média ponderada do Índice de Preços por Atacado(IPA), 30% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Belo Horizonte, Pernambuco, Distrito Federal e Rio Grande do Sul e 10% do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Estes significam:

IPA: calcula a variação dos preços de negociação entre empresas, antes que o produto chegue ao consumidor final.

IPC: Calcula a variação dos preços de bens e serviços que fazem parte de despesas famílias mais comuns, sendo sua base variante entre famílias de 1 a 33 salários mínimos.

INCC: Calcula a variação dos custos de construções habitacionais, tendo como principal índice a construção civil nacional.

A partir destes três coeficientes, é realizado o cálculo do IGPM. Cálculo este que pode ser feito em algumas calculadoras na internet.

A relação do Índice IGPM com o mercado imobiliário

O atual mercado imobiliário utiliza do IGPM para realizar a deflação dos valores dos contratos de venda, compra e aluguel da propriedade que são sujeitas a estes serviços.

Este se trata de ser a principal referência na definição de reajustes e preços dentro das transações imobiliárias. Isto também inclui financiamentos a longo prazo para aquisição de um imóvel em questão.

Índice IGPM está diretamente relacionado ao Tesouro Direto

Até o ano de 2006, era possível investir no Tesouro Direto comprando títulos de capitalização que estavam relacionados ao IGPM. Este modelo, conhecido como NTN-C, foi um dos primeiros a serem lançados para que as pessoas conseguissem fazer uma aplicação.

Neste momento não é mais possível realizar este tipo de transação, mas aqueles que adquiriram títulos através do NTN-C ainda tem suas ações reconhecidas e ativas, e podem ser revendidas pelas corretoras até 2031.

Índice IGPM impacta todo o mercado

É graças ao IGPM que podemos ter preços mais acessíveis no mercado, propiciando que paguemos valores mais próximos dos verdadeiros e justos. Ainda existem grandiosas taxas de impostos cobrados em todos os itens do mercado, mas estes só são possíveis de se adquirir graças ao Índice Geral de Preços Médios.

E, como conferimos, podemos ver o quanto este impacta no mercado imobiliário, aonde que, sem este, um aluguel poderia custar preços inimagináveis.

Para aqueles interessados em investir em aços NTN-C ou em imóveis, a CashMe oferece os melhores empréstimos do mercado financeiro para que você coloque o dinheiro para trabalhar para você! Com a CashMe, você vai mais longe!

Se gostou do artigo, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais!

Confira também:

Imóvel usado ou novo: qual o melhor investimento?

A diferença entre hipoteca e empréstimo com garantia

Hipoteca de imóvel: entenda os principais detalhes sobre o assunto

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50). Empresa do Grupo Cyrela.

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


O cashme.com.br (“Website”) é pertencente e operado pela Cyrela Brazil Realty Empreendimentos e Participações (“CashMe”), uma sociedade anônima registrada sob o CNPJ/MF 73.178.600/0001-18

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.