Dívida caduca é a dívida que passou do prazo, que em geral costuma ser de 5 anos. Muitas pessoas pensam que esperar isso acontecer pode ser uma boa ideia, porém a dívida caduca não significa estar quitada.

Se você tem dúvidas do que é uma dívida caduca e se seu nome ficará limpo depois que isso acontecer, leia nossa matéria!

O que significa dívida caduca?

De acordo com o artigo 205 do Código Civil Brasileiro, toda dívida tem um prazo para ser cobrada, em geral costuma ser de 5 anos. Ou seja, dívida caduca é aquela que passou do prazo estipulado pelo artigo.

Neste caso, as dívidas deixam de aparecer nos órgãos de proteção ao crédito.

Entretanto a dívida ainda existirá e não significa que ela foi quitada, pelo contrário ela continuará em aberto e inclusive cobrando juros.

Quanto tempo demora para minha dívida caduca?

Normalmente as dívidas caducam depois de 5 anos, mas existem ainda alguns casos que podem demorar 10 anos.

Dependendo do que a dívida de trata o credor tem prazos diferentes para realizar a cobrança. Como nesses casos:

  • Despesas com hospedagem e hotéis: 1 ano;
  • Dívidas de seguro: 1 ano;
  • Reclamar das dívidas de pensão alimentícia: 2 anos;
  • Reclamar do inquilino inadimplente: 3 anos;
  • Dívidas de empréstimos: 3 anos;
  • Boleto bancário, cartões de crédito e cheque especial: 5 anos;
  • Convênios médicos: 5 anos;
  • Impostos federais, estaduais ou municipais: 5 anos.

Após a dívida caducar meu nome limpará automaticamente?

Uma das preocupações das pessoas endividadas é saber quando o nome delas voltará a ficar regular no SPC (Serviço de proteção ao crédito) e Serasa.

Isso acontece automaticamente depois que a dívida caduca, pois o banco terá que retirar seu nome desses órgãos.

Porém é importante ressaltar que manter seu nome irregular durante 5 anos, ou mais, pode não ser uma boa ideia e atrapalhar sua vida financeira.

Por que é importante quitar minhas dívidas?

Estar com as contas em dia, e principalmente com o nome regular, agrega vantagens a qualquer pessoa.

Em vários momentos comuns na vida de uma pessoa, estar com as dívidas quitadas poderá facilitar muito sua vida. Conheça alguns deles:

1. Futuras aquisições

É comum que antes de realizar a venda de um bem, a empresa pesquise sobre o seu histórico como comprador para saber se honrará o pagamento.

Se você já teve uma dívida caduca com eles a chance deles te concederem uma nova possibilidade de compra será muito pequena.

2. Crédito disponível

Conseguir crédito no mercado financeiro, normalmente requer uma série de partes burocráticas, onde o banco ou instituição analisam seu perfil.

Durante essa análise, apesar de seu nome não constar mais nos órgãos de proteção ao crédito, eles têm acesso a sua dívida caduca.

Ou seja, para eles não será interessante oferecer crédito a uma pessoa inadimplente com o pagamento das dívidas.

3. Incomodo com ligações

Um a das consequências mais difíceis de não pagar suas dívidas é ter que lidar com as constantes ligações do banco. Muitas vezes essas ligações podem acabar atrapalhando o seu dia a dia.

As dívidas podem ser cobradas judicialmente

Apesar de isso soar como novidade para algumas pessoas, é importante saber que a dívida pode ser cobrada judicialmente.

Se isso ocorrer, o tempo em que a dívida caducaria passa a não vale mais, e sim o tempo de tramitação do processo.

Vale a pena esperar a dívida caducar?

Esperar a dívida caducar, pode não ser a melhor saída para sua organização financeira. Isso porque, é como se estivesse jogando a sujeira para de baixo do tapete.

O ideal é resolvê-las através de um acordo. Desta forma, seu nome ficará limpo sem ter que esperar anos e a dívida para de crescer.

Certamente muitas pessoas optam por nem pensar em suas dívidas, neste período de 5 anos, mas vale lembrar que elas continuam crescendo. Se tornando cada vez mais difícil de pagar.

Como posso pagar minhas dívidas?

Na maioria dos casos, as pessoas não deixam de pagar suas dívidas por opção, e sim por falta de organização e sobras no orçamento.

Segundo o SPC Brasil, 48% dos brasileiros ficaram com o nome sujo em algum momento nos últimos 12 meses.  

Ou seja, essa é uma situação muito comum e que pode acontecer por diversos motivos. O mais importante é conseguir sair dela.

Para conseguir limpar seu nome e se reorganizar financeiramente será necessário mudar alguns hábitos e tentar renegociar suas dívidas. Veja como:

1. Organize seu orçamento

A primeira coisa que deverá fazer é um levantamento diagnostico de todas as suas entradas e saídas financeiras.

A dívidas deverão entrar nessa lista com os juros atualizados.

Não se esqueça de elencar até as dívidas e gastos mais baixos do dia a dia. É comum que a gente nem se dê conta de quanto algumas coisas podem pesar nas nossas finanças antes de fazer esse levantamento.

2. Corte gastos desnecessários

Fazendo esse primeiro passo, você conseguirá ver quais são os gastos que podem ser cortados ou substituídos do seu orçamento.

Tudo que considerar como gastos desnecessários, corte do seu dia a dia.

3. Negocie com o credor

Agora que você já sabe qual é sua sobra financeira mensalmente, tente negociar a dívida com o credor.

Nessa hora tenha paciência, explique sua situação financeira e também o seu interesse em quitar a dívida.

Certamente a instituição estará interessada em receber, mas pense bem e só feche um acordo se também for vantajoso para você.

4. Busque uma boa proposta

Busque uma proposta que se encaixe no seu orçamento, assim você conseguirá arcar com as parcelas.

É importante se atentar ao prazo da negociação e os juros que serão adicionados a ela. Se a proposta do credor não parecer boa para você, pesquise outras maneiras de quitar a dívida.

Existem empréstimos, como o com garantia de imóvel que podem lhe oferecer prazos extensos para pagamento e taxas de juros baixas. Conheça sobre o empréstimo com garantia de imóvel.

Opte também por parcelas fixas, isso facilitará sua organização mensal.

Conclusão

Ter dívidas e elas sumirem num passe de mágica é uma ideia que parece maravilhosa, mas isso não passa de uma ilusão.

Assim como as dívidas aparecem, elas também podem sumir, mas para que isso aconteça você deverá tomar uma atitude.  

Deixar a dívida caducar é arriscado, já que você não sabe quando uma emergência pode acontecer e você não conseguirá crédito no mercado para resolvê-la.

Além disso, deixar uma dívida caduca pode lhe trazer maiores problemas, como por exemplo ter que responder a um processo judicial.

Outro ponto negativo é que você não terá se livrado desse problema e tão pouco o resolvido. Mesmo com a dívida caduca, os credores ainda buscarão uma forma para cobrar as dívidas, normalmente eles continuarão ligando em busca de um acordo.

Se você não quer ter esses problemas a melhor forma será pagar as dívidas e não as deixar caducar.

Se gostou desta matéria não deixe de acompanhar nosso Blog, nele postamos artigos para ajudar suas finanças pessoais e empresariais.

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50). Empresa do Grupo Cyrela.

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


O cashme.com.br (“Website”) é pertencente e operado pela Cyrela Brazil Realty Empreendimentos e Participações (“CashMe”), uma sociedade anônima registrada sob o CNPJ/MF 73.178.600/0001-18

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.