O fluxo de caixa registra a quantia de dinheiro que entra e sai de uma empresa.

Ou seja, o fluxo de caixa ajuda o empresário a enxergar todas as movimentações financeiras que sua empresa tem. É literalmente o fluxo do dinheiro, para onde vão as despesas e também quais são os ganhos, sendo assim possível entendê-lo e controlá-lo.

Segundo o SEBRAE, a maioria das pequenas empresas fecham com menos de um ano, na maior parte o motivo é a falta da gestão adequada. Entender o fluxo de caixa pode ser essencial para que isso não aconteça.

Como implementar o fluxo de caixa da minha empresa?

O fluxo de caixa é uma implementação que auxilia muito no controle financeiro de uma empresa ou negócio. Mas para que ele colabore com sua empresa é necessário que seja feito da maneira correta.

Primeiramente você deverá contabilizar todas as entradas e todas as saídas de dinheiro da empresa, mesmo as que sejam pequenas.

  • Entradas: As entradas, que também podem ser chamadas de receita, são todos os saldos que entram para sua empresa, como valor da venda ou serviço prestado.
  • Saídas: Todos os custos da empresa, seja com manutenção, funcionários, compra de produtos ou itens etc. Tudo o que tiver que debitar da conta da sua empresa, são as saídas que ela tem.

A diferença entre as entradas e as saídas de uma empresa é o seu lucro.

Faça uma planilha e atualize ela de maneira frequente, podendo ser ao final do dia ou da semana, o que for melhor para você.

Por que elaborar um fluxo de caixa?

A entrada de caixa é a força vital do seu negócio e vem de fontes diversas, como recebimentos de clientes, tomada de empréstimos, aumento de capital por parte dos sócios e rendimentos de aplicações ou investimentos.

Ter um fluxo de caixa positivo é importante para que a empresa consiga manter sua operação funcionando perfeitamente e consiga honrar com todas suas obrigações, tais como despesas com estoque ou matérias-primas, salários, aluguel e outras despesas operacionais.

Naturalmente, o fluxo de caixa positivo é o resultado almejado por todos os empresários, pois indica que a empresa possui uma boa saúde financeira.

Um fluxo de caixa altamente positivo é ainda melhor e permitirá que você faça novos investimentos (contrate funcionários, abra outro local) e aumente ainda mais o seu negócio.

Logo, o resultado a ser evitado é o fluxo de caixa negativo, que significa que há mais dinheiro saindo do que entrando. Essa situação, no entanto, comumente acontece em negócios que estão começando, mas deve ser evitada.

Cuidados

Não se esqueça de separar do seu fluxo de caixa os valores de empréstimos. Estes não devem ser considerados como entradas.

Quando você tiver todos esses números de maneira mais clara, será possível tomar decisões mais eficientes. Certamente elas estarão baseadas nas previsões que você elaborou.

Vantagens do fluxo de caixa:

Ter uma previsão

Ao elaborar o fluxo de caixa da sua empresa, você terá uma visão mais clara das suas finanças nos próximos meses.

Desta forma é possível tomar algumas decisões, como, por exemplo, realizar uma promoção do estoque que está há algum tempo parado.

Ou também solicitar um empréstimo, pois terá o valor exato que sua empresa necessitará. São muitas as decisões que você pode tomar por ter um fluxo de caixa e conhecer seu orçamento empresarial.

Reagir rapidamente em alguma emergência financeira

Caso haja alguma emergência financeira na sua empresa, como, por exemplo, o número de entradas começar a cair, você verá isso rapidamente.

Ou seja, dependendo da frequência que você atualiza seu fluxo de caixa, conseguirá notar rapidamente qualquer mudança, e buscar formas de intervir.

Observar aumento com despesas

Com o fluxo de caixa é possível que o empresário identifique aumentos com alguma despesa. Desta maneira ele poderá entender se é necessário esse aumento, ou como diminuí-lo.

Redução dos custos da empresa

Um fluxo de caixa bem elaborado e detalhado pode ajudar uma empresa a reduzir gastos desnecessários. Em alguns casos também é possível identificar gastos a serem reduzidos.

Tipos de fluxo de caixa:

Existem diversos modelos de fluxo de caixa para auxiliar na organização de finanças. Conheça abaixo quais são e escolha o que melhor se adapta aos seus objetivos:

Fluxo de caixa operacional

Esse é um dos fluxos de caixa mais simples, pois visa indicar somente as movimentações de entradas e saídas de uma empresa.

Neste caso não são contabilizados investimentos, necessidade de empréstimo ou capital de giro.

Fluxo de caixa livre

Este é um tipo de fluxo mais indicado para quem deseja enxergar qual é a capacidade da empresa de gerar capital a prazo. Ou seja, para que você possa fazer uma projeção de valores, a curto, médio e longo prazo.

Se trata de um modelo mais complexo e com informações mais detalhadas.

Fluxo de caixa projetado

O fluxo de caixa projetado é baseado nos fluxos de caixa dos últimos meses. Desta maneira, é possível organizar os pagamentos e entradas futuras.

Também é comum nesse tipo de fluxo, se realizar uma média e corrigir falhas que não estiverem dentro delas.

Fluxo de caixa livre

Esse é um dos fluxos de caixas mais popular entre as empresas. Nele são anotadas todas as despesas e entradas de forma bruta, ou seja, sem descontos. Ele permite um diagnostico completo das movimentações em tempo real.

Fluxo de caixa indireto

Neste tipo de fluxo, não são levadas em considerações somente as entradas e saídas. Há ainda uma projeção de despesas como depreciações e amortização.

Todos os valores indiretos devem entrar nesta planilha. É preciso ter acesso aos balanços patrimoniais anual.

Fluxo de caixa descontado

O fluxo de caixa descontado leva em consideração o valor da empresa. Ou seja, é mais baseado no valor de compra e venda de companhias do que no funcionamento do negócio.

Fluxo de caixa para investimentos

O fluxo de caixa para investimentos é utilizado por empresas que estão funcionando bem e desejam investir.

Certamente esse tipo de fluxo acompanha o resultado dessas movimentações de investimentos, observando os seus resultados.

Erros comuns no fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta que pode ajudar as finanças da sua empresa e também na sua organização com o dinheiro. Mas para que isso ocorra é importante evitar alguns erros. Veja quais são:

Não anotar pequenos valores

Valores pequenos de despesas ou de entradas fazem a diferença no final do seu fluxo de caixa. Por mais que seja um valor baixo, é importante anotá-lo.

Mesmo aquele cafezinho de R$ 3,00 que serviu ao cliente deve ser contabilizado.

Misturar finanças pessoais e empresariais

Essa é uma situação muito comum nas empresas onde não há fluxo de caixa, porém é prejudicial para as finanças empresariais.

Esse é um erro que pode fazer muita diferença no lucro da empresa, por exemplo. Portanto separe suas finanças pessoais da empresais.

Faça o fluxo de caixa mesmo que sua empresa estiver no vermelho

Normalmente, quando a empresa está no vermelho, ficamos desmotivado a analisar as finanças dela. Mas apesar de parecer uma tarefa difícil, realizar o fluxo de caixa pode ser justamente a solução para que sua empresa se recupere.

É muito importante que você consiga diagnosticar o motivo pelo qual sua empresa entrou no vermelho. Assim você conseguirá tomar decisões para mudar esse cenário.

Se este for seu caso, leia dicas sobre como tirar sua empresa do vermelho.

Conheça os aplicativos para fazer fluxo de caixa

Lembrar de anotar todos os números do dia a dia de uma empresa não é tão fácil. É muito mais fácil fazer isso na mesma hora do que anotar depois.

Para facilitar a organização financeira da sua empresa e criar o fluxo de caixa, existem alguns aplicativos simples de utilizar. Veja quais são:

Saber o caminho do dinheiro da sua empresa é muito importante não só para que ela cresça. Isso pode te mostrar também as possibilidades de corte de gastos desnecessários e saber identificar futuros problemas financeiros. O fluxo de caixa pode ser o melhor instrumento para o dia a dia das finanças da sua empresa. Tenha o seu!

endImage

A CashMe não realiza qualquer atividade privativa de instituições financeiras, como financiamentos e/ou empréstimos. Essas operações são realizadas através de parceiros autorizados pelo BACEN, nos termos da Resolução nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011. As operações são realizadas através das seguintes instituições: Companhia Hipotecária Brasileira – CHB (CNPJ 10.694.628/0001-98), Companhia Hipotecária Piratini – CHP (CNPJ 18.282.093/0001-50).

Informações complementares referentes ao Empréstimo com Garantia de Imóvel: mínimo de 36 meses e máximo de 144 meses. “””Exemplo – Empréstimo de R$ 200.000,00 para pagar em 12 anos (144 meses) com LTV de 42,79% (sendo R$ 200.000,00 + despesas acessórias, para um apartamento avaliado em R$ 500.000,00) – Prestação inicial de R$ 2.894,10, com uma taxa de juros de 0,99% ao mês + IPCA, Sistema de Amortização Tabela Price. CET de 13,38% ao ano.”””


CASHME SOLUÇÕES FINANCEIRAS LTDA., com sede social na capital do estado de SP, na Rua do Rócio, nº 109, 3º andar, Sala 01 - Parte, Vila Olímpia, CEP 04.552-000, inscrita no CNPJ sob o no 34.175.529/0001-68

A CashMe, por sua vez, possui sede na Rua Olimpíadas, 242, 4º andar, CEP 04551-000, na cidade de São Paulo/SP.